Morre Fernando Barboza, fundador do grupo musical Barbatuques, aos 49 anos

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O músico Fernando Barboza, também conhecido como Fernando Barba, do grupo musical Barbatuques, morreu na madrugada desta quinta-feira, aos 49 anos. A morte foi ocasionada por um suicídio e confirmada pela família do artista. "É com profundo pesar que nós, do grupo Barbatuques, informamos aos nossos fãs e amigos o falecimento do nosso fundador e eterno mestre Fernando Barboza", informa uma nota publicada nas redes sociais do grupo paulistano. O Barbatuques surgiu em 1995 e ganhou destaque por ser um grupo de percussão corporal --seus integrantes produzem canções através de sons como palmas, assobios, batidas, passos e estalos. O grupo, que completou 25 anos em 2020, já realizou uma série de espetáculos dentro e fora do Brasil. Além de músicas de sucesso como "Baianá", os artistas também são responsáveis por trilhas sonoras de filmes como "Rio 2", "Tropa de Elite", "O Menino e o Mundo" e "Trash - A Esperança Vem do Lixo". Em abril de 2017, Barba enfrentou um tumor no cérebro e desenvolveu sequelas de sua neurocirurgia, o que comprometeu parte de suas atividades artísticas no grupo. Dois anos depois, ele e a irmã, Renata Ferraz Torres, lançaram o livro "A Vida Começava Lá: Uma História de Repercussão Corporal", que narra a vida do músico, a criação do Barbatuques e técnicas da música corporal. "Permanecem nosso eterno amor e gratidão a esse músico genial que tanto fez pela música brasileira e cativou corações por todos os lugares do mundo onde passou", diz a nota. O artista deixa o pai Caio Luiz Barboza Ferraz, a mãe Maria Isabel Barboza Ferraz e os irmãos Renata Ferraz Torres e Fabio Barboza Ferraz. Ainda não há informações sobre o sepultamento do corpo.