Monica Iozzi se diz cansada das redes sociais: 'Raiva move mais do que a admiração e o amor'

Redação Vida e Estilo
A atriz criticou o ódio que tomou conta das redes sociais (Reprodução/ Instagram/ @monica.iozzi)
A atriz criticou o ódio que tomou conta das redes sociais (Reprodução/ Instagram/ @monica.iozzi)

Monica Iozzi, que viverá uma vítima de abusos sexual na minissérie “Assédio” – livremente inspirada no livro A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih, de Vicente Vilardaga – , contou em entrevista à revista “Quem” que está feliz com a oportunidade de mostrar seu lado dramático em um trabalho na TV. “Venho do teatro e lá já tinha feito muita coisa dramática, mas na televisão e no cinema ainda não. Para mim é uma honra mostrar o meu trabalho nesse outro registro e dentro de um projeto tão especial como Assédio. Estou muito feliz!”, disse ela.

A atriz, que recentemente se afastou das redes sociais, explicou o que a fez desistir de interagir com os internautas durante um tempo. “Parece que as pessoas entram muito mais vezes na internet para criticar algo do que para elogiar, a raiva move mais do que a admiração e o amor, pelo menos na internet. Isso me cansou um pouco”, disse Monica Iozzi, que chegou a ser processada por criticar em um post no Instagram a decisão do ministro Gilmar Mendes de conceder Habeas Corpus para Roger Abdelmassih, depois de sua condenação a 278 anos de prisão por 58 estupros.

Leia mais:
Elegante, Ludmilla esbanja autoestima nas redes sociais
Recém-operada, Dani Calabresa pode desfalcar ‘Dança dos Famosos’

Sobre o desfecho do caso de Roger Abdelmassih, que atualmente cumpre a pena em prisão domiciliar, Monica Iozzi revelou que interpretar uma das personagens inspiradas em suas vítimas é uma forma de demonstrar sua revolta. “Acho que a gente tem que transformar revolta em ação… Seja militando politicamente, seja falando na internet, seja trabalhando numa ONG… No meu caso, poder trabalhar isso como atriz é o cenário dos sonhos. Apesar de toda revolta que sinto, estou muito feliz porque a gente está dando voz para essas mulheres que foram abusadas por ele. O principal dessa série não é falar sobre os crimes que esse homem cometeu, mas mostrar a força dessas mulheres, o que elas tiveram que enfrentar para que essa história viesse à tona e esse homem – mal ou bem – fosse julgado e condenado. Para mim, a série é sobre a força das mulheres”, afirmou a atriz.