Moeda americana de ouro avaliada em até US$ 15 milhões vai a leilão

·2 minuto de leitura

Uma moeda americana de ouro, avaliada entre 10 e 15 milhões de dólares, será posta à venda em 8 de junho na casa de leilões Sotheby's, que também ofertará um selo estimado na mesma faixa de valor.

Este exemplar, que faz parte da última série de moedas de ouro denominadas "Double Eagle" ou Águia Dupla, cunhadas pela Casa da Moeda dos Estados Unidos em 1933, poderia se tornar a moeda mais cara do mundo, à frente do dólar de prata, "Flowing Hair" (cunhado em 1794), arrematado por 10 milhões de dólares em 2013.

A moeda nunca entrou em circulação, pois o presidente americano na época, Franklin Roosevelt, determinou o fim da conversibilidade da moeda americana ao ouro.

No entanto, alguns exemplares apareceram no mercado de colecionadores, antes de ser apreendidos pelos serviços secretos americanos, com exceção de uma Águia Dupla que feito parte da coleção numismática do rei Faruk do Egito.

A preciosa peça de metal dourado foi comprada em 1995 por um colecionador britânico a quem, depois de cinco anos de batalha legal, permitiu-se vendê-la ao seu proprietário atual, o estilista americano Stuart Weitzman, em 2002, por 7,9 milhões de dólares.

O sapateiro preferido de muitas celebridades reuniu uma coleção única com, além da Double Eagle, o que muitos consideram ser o selo mais raro do mundo, o magenta de um centavo da Guiana Britânica, impresso em 1856.

Weitzman adquiriu este selo em 2014 por 9,4 milhões de dólares, que continua sendo até o momento um recorde.

O selo da Guiana Britânica fez parte de uma série impressa em uma emissão de emergência pelo Diretor Geral de Correios da Guiana Britânica (atual Guiana) depois de uma interrupção no fornecimento de timbres.

Weitzman adquiriu ainda, também em 2014, o selo americano mais apreciado entre os filatelistas, chamado "Inverted Jenny".

Trata-se de uma série de quatro selos cuja rareza vem de um erro de impressão: o avião representado em cada exemplar, um biplano Curtis JN-4 batizado "Jenny", aparece ao contrário.

O "Inverted Jenny" também será posto à venda em 8 de junho e todos os lucros obtidos serão destinados a obras de caridade, incluindo a própria fundação do estilista, The Weitzman Family Foundation.

A história de cada uma das três peças "quase poderia se tornar em um roteiro cinematográfico", disse Richard Austin, encarregado de Livros e Manuscritos da Sotheby's.

"O interessante é que todos provêm de um erro ou um contratempo", disse. "E isso lhes dá valor, porque são únicos".

tu/cjc/ll/mr/mvv