Modelo trans vai disputar Miss Brasil Mundo pela primeira vez: "Momento único"

Lucas Pasin
·3 minuto de leitura
Rayka Vieira (Foto: Reprodução/Instagram @raykavs)
Rayka Vieira (Foto: Reprodução/Instagram @raykavs)

A modelo Rayka Vieira, de 25 anos, fará história no Miss Brasil Mundo 2020. Pela primeira vez, em 60 anos de concurso, uma mulher transexual vai disputar a competição. Ela foi anunciada como a representante de Goiás no concurso que, por conta da pandemia, foi adiado para março de 2021.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Nas redes sociais Rayka, assim que anunciada, já começou a ganhar fãs. Ela falou sobre a competição e o fato histórico: “Enfim, a grande notícia que estava ansiosa pra contar: Serei a primeira mulher trans a participar do Miss Brasil, concurso antes apenas para mulheres cis. Esse acredito ser um momento único na minha vida e que vai encorajar muitas jovens como eu a não desistirem dos seus sonhos. Posso contar com vocês para juntos vivermos esse sonho?”

Leia também

Rayka continua em outra postagem: “Ser mulher pra mim, nunca foi uma questão de escolha. Eu nasci mulher tanto na alma quanto no coração. Prazer, sou Rayka Vieira, miss Centro Goiano, a primeira mulher trans a participar de um concurso de Miss Brasil. Esse é um momento histórico e quero usar dessa voz para mostrar a todas mulheres que juntas somos mais fortes.”

A Miss Brasil 2020 será eleita no dia 4 de março em Alagoas.

Ver essa foto no Instagram

Rayka Vieira @raykavs , 25 anos, natural de Anápolis, é a Miss Centro Goiano CNB 2020/21. Ela é a primeira mulher trans a disputar um título de Miss Brasil do Grand Slam, mais especificamente, o de Miss Brasil Mundo. Modelo da agência @bymmodels há 6 anos, Rayka é destaque em desfiles e campanhas publicitárias em seu município: "Ela é muito querida pelas outras modelos e muito profissional", conta o coordenador goiano @raffarodriguess , responsável pela escolha de Rayka. "Por causa da pandemia, não faremos concurso em Goiás este ano. Decidimos então, além da Miss Goiás CNB, que será anunciada daqui a algumas semanas, aclamar uma segunda candidata. Foi quando convidamos a Rayka", conta o também diretor da agência. Rayka, em um primeiro momento, achou que fosse brincadeira. Quando percebeu que era sério, se emocionou: "Sabe aquele sonho que você nunca imaginou que pudesse realizar e de repente ele acontece? Então...", conta com entusiasmo. Porém, ela pondera: "É difícil dizer que não muda nada o fato de eu ser uma mulher trans, porque muda sim. Me sinto cobrada até por mim mesma para me sobressair em tudo o que eu faço. As oportunidades não são as mesmas e já perdi empregos, fui humilhada em hospitais públicos ao ser atendida, mesmo tendo documentos e sendo legalmente uma mulher". Ela começou a sua transição aos 15 anos de idade, após muitas vezes haver chorado em frente ao espelho. "Eu olhava me olhava e não encontrava a mulher que eu sabia ser. Doía demais". Rayka conta que tem todo o amor e aceitação dos seus familiares, o que muitas vezes não acontece com outras mulheres trans: "Disputar o título de Miss Mundo Brasil terá um significado mais profundo do que muita gente pode compreender. Quero servir de espelho e inspiração para mulheres que se encontram na minha situação. Que elas saibam que quero apoiá-las e me tornar uma voz para elas. Sobretudo, não quero ser a única. Que esta porta que hoje está sendo aberta, siga aberta. Mulheres unidas têm força para mover montanhas e realizar sonhos. Mesmo aqueles que pareciam impossíveis", conclui. A 61a Miss Brasil Mundo será eleita em 4/3, no @iloaresort, em Alagoas. Vídeo: @bmq_foto_filmes Link na bio

Uma publicação compartilhada por Concurso Nacional de Beleza (@missbrasiloficial) em