Gilmar Mendes derruba censura de Marcius Melhem à revista Piauí sobre assédios na Globo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Marcius Melhem conseguiu proibir uma reportagem de ser publicada (Foto: Globo)
Marcius Melhem conseguiu proibir uma reportagem de ser publicada (Foto: Globo)

Resumo da Notícia:

  • Marcius Melhem foi desligado da TV Globo após a emissora apurar denúncias de assédio

  • O diretor enfrentou uma investigação interna na TV Globo e uma na justiça criminal movida pelas vítimas

  • Dani Calabresa é uma das vítimas que denunciaram o diretor em uma ação coletiva

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, derrubou a decisão da Justiça do Rio de Janeiro que proibia a revista “Piauí” de publicar uma reportagem sobre os desdobramentos da investigação de assédio que envolvia o autor e diretor Marcius Melhem à colegas de elenco da TV Globo.

Vigorando desde agosto de 2021, o ministro defendeu a autonomia de veículos de imprensa. “A liberdade de imprensa, essencial ao Estado democrático de Direito, é valor em permanente afirmação e concretização. Houve indevida censura judicial contra reportagem jornalística de relevante interesse público”, ressaltou no seu despacho. A informação foi divulgada inicialmente por Mônica Bergamo, da “Folha”.

A decisão que censurou a reportagem da revista foi dada pela juíza Tula Corrêa de Mello, da 20ª Vara Criminal da Justiça do Rio. Ela atendeu a um pedido da defesa de Melhem para suspender a reportagem durante as investigações do caso. Em caso de descumprimento uma multa de R$ 500 mil deveria ser paga.

A ação foi contestada pelo veículo no Supremo, que lhe foi garantida a liberdade de imprensa na última segunda-feira (31). O repórter João Batista Jr., responsável pelo texto, relatou na Piauí que em 5 de agosto de 2021, dias antes da censura judicial, ele havia entrado em contato com a assessoria de Marcius sobre o texto que estava escrevendo.

“Contei as revelações que havia apurado e pedi uma entrevista com o humorista, ou seus advogados", diz o repórter. A resposta foi que as perguntas fossem enviadas por e-mail: “Mandei seis questões e dei um prazo de cinco dias para receber as respostas.”.

A assessoria pediu uma extensão do prazo final, que teria sido usado para os advogados entrarem com a ação na justiça pedindo a censura prévia da reportagem. Melhem é supostamente acusado de assédio sexual e moral contra diversas funcionárias da TV Globo, entre elas a atriz e apresentadora Dani Calabresa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos