Ministra da Saúde do Peru se demite após escândalo em vacinação de presidente

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Former Peruvian President Martin Vizcarra leaves the Congress after meeting a congressional commission to respond to bribery allegations, in Lima on December 1, 2020. - Congress impeached and dismissed Vizcarra over allegations he took kickbacks from developers when he was governor of the Moquegua region in 2014, charges he denies. (Photo by Ernesto BENAVIDES / AFP) (Photo by ERNESTO BENAVIDES/AFP via Getty Images)

A ministra da Saúde do Peru, Pilar Mazzetti, renunciou ao cargo na última sexta-feira (12), após a denúncia de que o ex-presidente Martín Vizcarra foi vacinado contra o novo coronavírus meses antes de começar a imunização no país.

“A doutora Pilar Mazzetti renunciou ao cargo de ministra da Saúde após apresentar uma carta ao presidente Francisco Sagasti”, informou a TV estatal do Peru.

Leia também

Na última quinta, um jornal de Lima publicou que Vizcarra foi vacinado contra a Covid-19 em outubro, semanas antes de ser destituído pelo Congresso em um julgamento político relâmpago. A imunização no país começou apenas na terça-feira e, por enquanto, está direcionada aos profissionais da saúde.

O ex-presidente se defendeu alegando que foi voluntário no ensaio clínico da vacina chinesa da Sinopharm no país, como milhares de outros peruanos.

A agora ex-ministra declarou ao Congresso que não tinha “nenhum conhecimento” do caso do ex-presidente: “Não me foi informada de que o senhor Martín Vizcarra recebeu a vacina com sua mulher e outro familiar”.