Ministério Público abre inquérito contra Nelson Piquet após falas sobre Lula

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - O ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet. (Foto: Vinícius Pereira/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - O ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet. (Foto: Vinícius Pereira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público Federal solicitou a abertura de um inquérito policial contra o ex-piloto Nelson Piquet, 70, sobre uma possível incitação pública a crime depois que, em vídeo, pediu por "Lula no cemitério".

De acordo com nota, Piquet será chamado para oitiva na Polícia Federal em breve, assim como a pessoa que gravou o vídeo com ele durante uma manifestação golpista contra o resultado das eleições presidenciais.

Para o MPF, as declarações de Nelson Piquet não representam expressões de opinião a respeito do governo eleito, mas uma incitação dirigida à população em geral. Piquet ainda não se pronunciou.

O ex-piloto marcou presença em um dos atos golpistas de pessoas que não aceitam a derrota de Jair Bolsonaro (PL) para Lula (PT) nas urnas.

Em vídeo que tem repercutido nas redes sociais, um manifestante posa ao lado de Piquet, que dá sua opinião sobre o petista e o xinga. "Tudo em paz, vamos botar esse Lula filho de uma p*** pra fora", disse antes de soltar a frase: "É Lula lá no cemitério".

Essa não é a primeira vez que uma fala de Piquet pega mal. No meio do ano, o ex-piloto tornou-se alvo de uma denúncia junto ao Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios por chamar o piloto de F1 Lewis Hamilton de "neguinho". A representação foi feita pela bancada do PSOL na Câmara dos Deputados. Quatro entidades pediam indenização de R$ 10 milhões por danos morais coletivos.

Um tempo depois, um trecho inédito divulgado pelo portal Grande Prêmio mostrou que o ex-piloto também fez uma fala homofóbica na ocasião, reacendendo as críticas. "O neguinho [Hamilton] devia estar dando mais c*", disse.