Mindfulness: O que é e como pode melhorar nossa saúde mental?

Mindfulness é uma palavra que está em todo lugar atualmente, mas poucos são capazes de explicar o que ela realmente significa.

Em sua forma mais simples, significa prestar atenção no momento presente sem que pensamentos externos julgadores entrem na sua mente.

O termo ganhou muita popularidade nos últimos anos, e foi usado por várias marcas, na tentativa de atrair os membros da Geração Y, mais preocupados e conscientes com o seu bem-estar. No entanto, a definição de mindfulness pode variar dependendo do que está sendo promovido.

Ele costuma ser usado como um conceito guarda-chuva, englobando diversas variações, desde a alimentação consciente até o esqui consciente – sim, isso realmente existe.

Embora psicólogos tenham exaltado os benefícios do mindfulness para a saúde mental – pesquisas alegam que a prática pode combater sintomas de depressão e ansiedade – estudos mais recentes desafiaram estes resultados, com alguns dizendo que a prática “só funciona para as mulheres” e outros afirmando que o mindfulness nos torna mais egoístas.

Continue lendo para descobrir tudo que você precisa saber sobre o mindfulness, incluindo como funciona e como pode beneficiar você.

O que é?

O mindfulness envolve fazer uma pausa no seu dia a dia para pensar apenas no momento presente, mais nada.

De acordo com Sharon Hadley, CEO do Centro de Mindfulness de Oxford, um de seus principais objetivos é incentivar as pessoas a prestarem mais atenção no que está acontecendo em seus corpos e mentes.

“É um termo usado para uma infinidade de intervenções e práticas ensinadas para nos ajudar a cultivar esta habilidade,” disse Sharon ao The Independent.

Como funciona?

Quando uma pessoa está envolvida na prática do mindfulness, a ideia é que ela mantenha seu foco exclusivamente em seu corpo e em sua respiração. É o que explica o site da organização beneficente de saúde mental Mind.

O texto do site acrescenta que, ao fazer isso, a pessoa deve ser capaz de identificar qualquer pensamento que entre na sua mente e deve deixá-lo ir embora.

Você pode conhecer algumas dicas (em inglês) de como conseguir fazer isso sem se distrair no site Mindful.org.

A sensação deve ser libertadora e vai ajudar o indivíduo a entender melhor as suas emoções e a si mesmo, de acordo com o NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido).

Quais são os benefícios?

Sharon diz que o mindfulness pode ter um impacto positivo no bem-estar geral ao nos tornar mais conscientes dos nossos próprios pensamentos e sentimentos, e também do ambiente que nos cerca.

“Esta habilidade de prestar atenção, de notar o que está acontecendo no momento presente e aumentar a nossa habilidade de escolher como queremos responder aos nossos pensamentos e emoções se provou benéfica para aqueles que estão sofrendo física e mentalmente,” ela acrescenta.

A aplicação de estratégias de mindfulness em várias partes da vida diária foi associada a uma infinidade de benefícios, desde melhorar o relacionamento com a comida e atenuar o vício em smartphones até favorecer a autoimagem corporal e melhorar a vida sexual.

O mindfulness pode ajudar a tratar problemas de saúde mental?

Os estudos também descobriram que o mindfulness pode ser benéfico para o tratamento de diversos problemas de saúde psíquica, como a depressão, a ansiedade e o estresse.

“A Terapia Cognitiva Baseada em Mindfulness (MBCT, na sigla em inglês) é um tipo de intervenção que vem sendo usado em um contexto clínico há alguns anos,” diz Sharon.

“A MBCT é reconhecida e aprovada pelo Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica (NICE) do Reino Unido como uma intervenção clínica que ajuda pessoas que sofrem de depressão recorrente”.

O NICE, que oferece orientações nacionais para melhorar a saúde e a assistência social, também recomenda usar técnicas baseadas em mindfulness para ajudar a combater a ansiedade social, um termo usado para descrever um medo intransponível de situações sociais.

Um estudo recente concluiu que o mindfulness pode ser “tão eficaz quanto” a terapia cognitivo-comportamental para atenuar a dor crônica e os sintomas de depressão.

O site da Mind acrescenta que novas pesquisas estão em andamento para avaliar se o mindfulness pode ser usado para tratar condições de saúde psíquica mais complexas, como o transtorno bipolar e a psicose. No entanto, ainda não se sabe ao certo como a prática seria aplicada nestes contextos, já que os estudos estão em fases preliminares.

Como você pode ser mais consciente?

Embora todos possam tentar praticar o mindfulness, ser mais consciente não é algo fácil, diz Stephen Buckley, chefe de informação da Mind.

“É preciso praticar, e a técnica pode não ser adequada para todos. Começar a aprender mindfulness quando você está muito mal não é uma boa ideia, pois pode ser difícil tirar o máximo proveito das suas tentativas e você pode acabar classificando a experiência como estressante,” disse ele ao The Independent.

“Se você está passando por uma situação particularmente difícil, emocionalmente, você pode buscar tratamento e apoio para o seu caso específico, e experimentar o mindfulness quando estiver se sentindo melhor”.

Dito isso, há algumas maneiras simples por meio das quais é possível incorporar o mindfulness às nossas vidas diárias.

O NHS sugere a estratégia de fazer coisas novas regularmente, seja sair para almoçar em um lugar novo ou sentar-se em um local diferente em uma reunião. Isso pode ajudá-lo a “notar o mundo de uma nova maneira,” o site afirma.

Alternativamente, nomear pensamentos e emoções, silenciosamente, pode ser uma maneira útil de lidar com situações estressantes, acrescenta o NHS. Se você estiver se sentindo ansioso por causa de uma prova, por exemplo, eles sugerem dizer a si mesmo: “Isso é ansiedade”.

Se você realmente quer aprender todos os detalhes sobre o mindfulness, Sharon sugere que o ideal seria se matricular em um curso básico desta disciplina.

Olivia Petter

The Independent