Milionário indiano revela ser comprador de obra de arte digital de quase US$ 70 milhões

·1 minuto de leitura
O valor da venda teve o efeito de uma bomba no mundo dos leilões, onde a arte digital se tornou um nicho de mercado há apenas seis meses

O milionário indiano Vignesh Sundaresan revelou ser Metakovan, o misterioso comprador de uma obra de arte digital que foi vendida na semana passada por 69,3 milhões de dólares (58,2 milhões de euros), para mostrar que "pessoas negras também podem ser patronos".

Na semana passada, a casa de leilões Christie's anunciou a venda da obra de arte "Everydays: the First 5.000 Days", uma colagem de 5.000 imagens digitais do artista americano Beeple, cujo nome real é Mike Winkelmann, a um colecionador que disse se chamar Metakovan.

Em uma publicação de blog na quinta-feira, Vignesh Sundaresan, conhecido como Metakovan, um empresário tecnológico indiano que mora na Singapura, revelou que comprou a obra para "mostrar aos indianos e às pessoas negras que eles também podem ser patronos".

Ele atribui sua ascensão social de um simples estudante de engenharia para um milionário graças à sua descoberta das criptomoedas em 2013.

O valor da venda teve o efeito de uma bomba no mundo dos leilões, onde a arte digital se tornou um nicho de mercado há apenas seis meses.

O pintor britânico David Hockney e o artista americano Jeff Koons são os únicos artistas da história da arte que venderam em vida obras a um preço maior.

Esta é a primeira obra de arte puramente digital vendida por uma grande casa de leilões. A oferta inicial era de 100 dólares, mas o preço disparou.

A obra foi criada com "NFT" ("non-fungible tokens" ou "tokens não fungíveis"), usando a tecnologia "blockchain", também utilizada pelas criptomoedas como o bitcoin.

ng/amu/leg/lth/at/pc/es/aa