MGM cogita vender todo catálogo de produções originais, diz revista

Ana Luiza Aragão
·1 minuto de leitura
O estúdio já negociou a venda do conteúdo algumas vezes (Reprodução)
(Reprodução)

Segundo informações da Variety desta terça (22), o estúdio hollywoodiano MGM (Metro-Goldwyn-Mayer) estaria cogitando uma venda. O estúdio acredita que sua biblioteca de conteúdo – que inclui a co-propriedade da franquia James Bond – seria desejável para empresas que buscam expandir seus setores de streaming.

Com base em ações negociadas de forma privada, a empresa tem um valor de mercado de US $ 5,5 bilhões, incluindo dívidas. A MGM, de propriedade fechada, recorreu aos bancos de investimento Morgan Stanley e LionTree LLC e iniciou um processo formal de venda.

MGM tem uma biblioteca de filmes com mais de 4.000 títulos e 17.000 horas de programação de televisão, incluindo franquias de filmes como “Rocky” e “O Hobbit”, bem como programas de televisão como “The Handmaid’s Tale” e “Vikings”.

Como a pandemia do COVID-19 continuou a manter muitas salas de cinema fechadas, houve uma grande mudança para os serviços de streaming. Este mês, a Warner Bros. ganhou as manchetes quando o estúdio anunciou que toda a sua lista de filmes para 2021, incluindo “Dune” e “The Matrix 4”, estará disponível para transmissão no HBO Max, além de estar nos cinemas.

A 25ª edição da franquia James Bond da MGM, “ No Time to Die ”, também foi adiada várias vezes, mais recentemente de 12 de novembro a 2 de abril de 2021.

Alguns dos maiores sucessos da MGM na última década incluem “O Hobbit” e Bond “Skyfall” em 2012, bem como o spin-off de Rocky, “Creed”, que arrecadou US$ 173 milhões globalmente. Os filmes populares da MGM disponíveis em serviços de streaming incluem “O Silêncio dos Inocentes”, “Rain Man” e “O Exterminador do Futuro”.

Um porta-voz do estúdio se recusou a comentar a nota.