Metallica traz versões longas de suas músicas para estádio lotado em SP

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 25.03.2017 - A banda Metallica se apresenta durante o festival Lollapalooza, em São Paulo. (Foto: Nelson Antoine/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 25.03.2017 - A banda Metallica se apresenta durante o festival Lollapalooza, em São Paulo. (Foto: Nelson Antoine/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Às 21h20 desta terça-feira fria (10), o Metallica entrou no palco do Morumbi para o prazer um público que lotou todos os setores do estádio, da pista às cadeiras e arquibancadas.

Uma das mais populares do metal, a banda de James Hetfield (vocal e guitarra), Kirk Hammet (guitarra solo), Robert Trujillo (baixo) e Lars Ulrich (bateria) chegou com o jogo ganho: 99% dos espectadores estavam vestidos de preto.

Com versões longas, com no mínimo 6 minutos de cada música, a banda era saudada a cada intervalo. Após três canções, Hetfield mandou a velha e boa "família Metallica" e "quem faz isso mais bonito são vocês ". Quase às lágrimas, a galera cantou junto a famosa "Seek and Destroy".

Antes, em "Harvester of Sorrow", o grupo surpreendeu ligando uma dúzia canhões de fogos no palco e adjacências, como se fosse o velho Kiss. O estádio iluminou e os fãs ficaram com as testas quentes, de tão grandes eram as fogueiras.

A sexta música, também cantada alto no estádio, foi um clássico antigo do Metallica: a tocante "One", inspirada no filme antibélico "Johnny Vai à Guerra", de 1971. Durante a execução, um clipe de arames farpados e caveiras balouçantes estourava no gigantesco telão, completando a magia metal.

Trocando de guitarra praticamente a cada música, Hatfield conduziu todo o show como o mestre das marionetes de "Master of Puppets", a última canção antes do bis, encerrada por volta das 22h40.

Mas foi nesse bis que a comunhão atingiu outro patamar. Uma bandeira brasileira estilizada invadiu os telões do estádio. Em seguida, vieram a balada "Nothing Else Matters" e o rockão "Enter Sandman", duas canções do álbum negro, que leva o nome da banda, gravado em 1991. É o disco mais popular do grupo e um dos mais vendidos do gênero.

O Metallica já passou por Porto Alegre e Curitiba e encerra a turnê brasileira nesta quinta (12), no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Há ingressos para todos os setores, de R$ 140 (cadeira superior meia-entrada) a R$ 740 (pista premium inteira).

Os shows estão acontecendo em 2022 após duas remarcações, devido à Covid-19. O primeiro anúncio era para abril de 2020. Então, as apresentações foram adiadas para dezembro de 2020. E finalmente aconteceram agora. Na abertura, a banda brasileira Ego Kill Talent e a americana Greta van Fleet.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos