Mesmo sem guerra, Itamaraty estuda transferir diplomatas brasileiros de Irã e Iraque

Fatemeh Bahrami/Anadolu Agency via Getty Images

RESUMO DA NOTÍCIA

  • O Palácio do Itamaraty está avaliando a ocorrência e a intensidade de ataques entre Estados Unidos e Irã no plano traçado para evacuar as equipes de diplomatas em Teerã e em Bagdá.

  • Destinos serão Azerbaijão, Jordânia, Arábia Saudita ou Kuwait.

O Palácio do Itamaraty está avaliando a ocorrência e a intensidade de ataques entre Estados Unidos e Irã no plano traçado para evacuar as equipes de diplomatas em Teerã e em Bagdá.

A informação é do blog do jornalista Guilherme Amado, na revista Época. Segundo a publicação, a transferência será feita caso haja ataques próximos aos prédios diplomáticos, que coloque a vida dos funcionários do Brasil em risco, mesmo sem uma guerra formal estabelecida.

Leia também

Com as mudanças, equipes do Irã serão transferidas para o Azerbaijão e as do Iraque para Jordânia, Arábia Saudita ou Kuwait.

Nesse sábado (11), com o aumento da pressão internacional, o Estado-Maior das Forças Armadas iranianas admitiu que um "erro humano" foi a origem da catástrofe com o Boeing 737 da Ukrainian Airlines, e Teerã pediu desculpas pelo incidente, cuja origem foi o "aventureirismo" dos Estados Unidos.

A aeronave, na qual viajavam 176 pessoas, foi identificada como um "avião hostil" e "atingida" no momento em que a ameaça inimiga se encontrava "no mais alto nível", revelou um comunicado divulgado pela agência oficial de notícias Irna.

Protestos pelo segundo dia

Neste domingo (12), nova onda de protestos eclodiu no Irã, pelo segundo dia seguido, reforçando a pressão sobre os líderes do país após a admissão de abate do avião ucraniano.

"Eles estão mentindo que nosso inimigo é a América, nosso inimigo está bem aqui", cantou um grupo de manifestantes do lado de fora de uma universidade em Teerã, segundo vídeos postados no Twitter.