Menu do Oscar será principalmente vegano, mas com salmão e caviar

1 / 2
O chef Wolfgang Puck

O Oscar decidiu servir este ano um cardápio principalmente vegano, mas o chef Wolfgang Puck não deixará de incluir clássicos como caviar, carne wagyu e seus famosos sanduíches de salmão defumado na forma da cobiçada estatueta.

"Trabalhamos com todos os produtos, porque, embora as pessoas gostem do vegano, a maioria come carne e peixe", disse na semana passada Puck, que lidera há 26 anos uma das festas de maior prestígio em Hollywood.

A Academia de Cinema dos Estados Unidos decidiu que, durante a cerimônia de premiação no domingo, em 9 de fevereiro, o cardápio será 70% vegano.

Formado na cozinha tradicional da França, onde aprendeu em restaurantes de prestígio antes de emigrar para os Estados Unidos, Wolfgang Puck, de 70 anos, insiste em que ele próprio não é vegetariano. Isso não o impede, porém, de apreciar a culinária de produtos vegetais.

"É divertido para nós também. Queremos que todos fiquem felizes e, finalmente, podemos fazer comida vegetariana que realmente seja gostosa sem tirar do cardápio a carne, ou o peixe", comentou.

À frente de um império gastronômico que inclui dezenas de restaurantes, de Beverly Hills a Singapura e Reino Unido, Puck já oferece em seus estabelecimentos "menus de degustação vegetarianos".

Desta forma, garante que enfrentou poucos problemas para se adaptar à mudança de última hora decidida pela Academia.

"É fácil, porque temos todos os chefs dos nossos diferentes restaurantes para os quais eu posso ligar e perguntar: 'O que você está fazendo de vegano?'", afirmou.

Como resultado, o chef e seu exército de cozinheiros puderam adicionar 18 pratos vegetarianos ao menu que já havia sido preparado para o jantar de gala que servirá cerca de 1.500 convidados.

O tempurá de batata-doce com aioli de hortelã e coentro será servido ao lado do hambúrguer miniatura de wagyu, assinatura do chef Puck. E a torta de frango com trufa negra acompanhará pratos como tagine e cuscuz de legumes, ou a berinjela com molho Hunan em uma cama de arroz negro.

Na seção de doces, o chef francês Kamel Guechida não se intimidou ao deixar de lado a manteiga e os ovos.

"Todas as matérias-primas podem fazer sobremesas requintadas", garantiu ele.

"Usamos muito leite de amêndoa e coco e superamos as dificuldades em encontrar substitutos"... como o chocolate vegano Valrhona, que permitirá a produção das famosas estatuetas douradas que imitam o Oscar.

Cerca de 5.000 peças serão preparadas para a gala, o que representa cerca de 400 kg de chocolate.