Menstruação atrasada na quarentena? A gente explica

O atraso na menstruação pode ser um reflexo do estresse e da ansiedade geradas pelo período de distanciamento social (Foto: Getty Creative)

Quando o distanciamento social começou, há dois meses, em algumas cidades do Brasil, a readaptação de rotina causou uma série de desconfortos, alguns deles físicos. É o caso de mulheres que relataram um atraso na menstruação depois que adotaram a quarentena. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo 

Descartada a possibilidade de ser uma gravidez, a mudança no ciclo menstrual tem motivo - e é mais comum do que se pensa, principalmente em situações de grande estresse. "O estresse pode afetar uma região do cérebro que ajuda no controle do ciclo menstrual, podendo gerar ciclos irregulares", explica a ginecologista Dra. Fernanda Pepicelli, especialista em Uroginecologia e Cirurgia Vaginal pela Universidade Federal de São Paulo. 

Leia também

Aliás, essa alteração pode acontecer de muitas maneiras. Uma delas é no próprio fluxo menstrual - ou seja, se você percebeu o seu fluxo mais intenso do que o normal ou, ao contrário, bem mais ameno, isso também pode ser causado pela mudança brusca de rotina. 

Mas, calma, essas irregularidades não são permanentes. A ginecologista considera que o ciclo volte ao normal em até três meses. "Após esse período é importante realizar uma consulta e checar através de exames porque essa alteração está persistindo", diz.

Aliás, qualquer que seja o motivo, é sempre importante manter contato com o seu médico ginecologista, se possível, para acompanhar de perto qualquer alteração brusca no ciclo menstrual. Seja por conta de uma gravidez inesperada ou o resultado do próprio estresse, essas mudanças podem indicar outras questões de saúde. Por isso, é essencial manter o diálogo com um especialista para descartar essas opções. 

Segundo Fernanda, uma mudança no fluxo pode indicar menopausa, uma dieta restritiva demais, excesso ou falta de exercícios físicos, obesidade, problemas de tiróide, ovários policísticos e até infecções e algumas neoplasias (uma massa anormal formada pelo crescimento desordenado de células, que podem ser malignas ou benignas).

Menstruação atrasada e estresse - o que fazer?

Caso a sua alteração de ciclo menstrual seja causada pelo estresse - o que é compreensível em tempos de coronavírus - o mais importante é buscar maneiras de melhorar essa questão: buscar uma rotina de exercícios para ajudar a descarregar a energia, treinar meditação, procurar maneiras de melhorar o sono e investir em uma alimentação balanceada são algumas ideias. Isso, claro, sem contar o que você pode fazer para cuidar da sua saúde mental.

Vale lembrar que muitos profissionais da Psicologia estão fazendo atendimentos online, então, se você sente que isso pode ajudar na redução do estresse e ansiedade, não hesite em buscar ajuda profissional.

Isso feito, basta esperar. O corpo tem suas próprias maneiras de regularizar o seu funcionamento, desde que você ofereça estímulos para quebrar uma ação nociva (por exemplo, diminuir os níveis de estresse e ansiedade).

Por isso, não há necessidade de buscar meios de "forçar" o seu ciclo a voltar ao normal (deixe o chá de canela de lado, por exemplo). É claro que, segundo Fernanda, se houver necessidade e desejo por parte da mulher, é possível fazer um tratamento hormonal, com orientação médica, para normalizar a questão.

No mais, lembre-se que o corpo dá uma série de indícios de que está estressado e ansioso demais - a nossa constante vontade de comer é um deles! Preste atenção ao seu corpo e tente, ao máximo, dar o que ele precisa para passar por esse período da forma mais tranquila possível.