Menino encontrado em barril ganha dois videogames e 632 roupas

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
“Ele disse para mim que chegou a comer fezes, porque não davam comida para ele”, disse o sargento ao jornal (Foto: via Getty Creative)
“Ele disse para mim que chegou a comer fezes, porque não davam comida para ele”, disse o sargento ao jornal (Foto: via Getty Creative)

A Polícia Militar de Campinas (interior de São Paulo) entregou centenas de doações recebidas após uma campanha promovida pela corporação para ajudar o menino de 11 anos que foi resgatado dentro de um barril, amarrado por um casal e com o tampo fechado por uma peça de mármore.

De acordo com reportagem do portal UOL, foram doados 276 brinquedos, dois videogames, 632 peças de roupas (blusas, camisetas, calças, bermudas), uma máquina para corte de cabelo, quatro mochilas escolares, 29 pares de sapatos, um urso de pelúcia, 10 gibis e dois livros.

Leia também:

“Foi fantástico. Ficamos surpresos e muito felizes. Sinceramente nunca vi nada parecido. É comovente”, disse o capitão José Antônio Pereira Júnior, que contou contou também que os colegas responsáveis pela entrega das doações ficavam emocionados: “É algo até espiritual fazer o bem. Eu, particularmente, espero que ele seja um símbolo. Porque várias crianças sofrem maus-tratos, estão abandonadas. É bom que ele seja um símbolo”.

A PM não entregou as doações diretamente ao menino, no abrigo onde ele está sendo cuidado. Os presentes foram deixados em um dos centros de Assistência Social de Campinas, que vai deslocar uma equipe para fazer a entrega final junto com psicólogos.

Uma denúncia anônima levou os policiais até o local onde o garoto foi encontrado, localizado no Jardim Itatiaia, periferia de Campinas. Segundo o sargento responsável por guiar a investigação, Mike Jason, a situação em que o menino foi encontrado era “desoladora”.

“Ele disse para mim que chegou a comer fezes, porque não davam comida para ele”, disse o sargento ao jornal.

De acordo com a PM, o menino não era filho biológico do casal. Segundo homem responsável pela criança relatou à polícia, “uma mulher, usuária de drogas, e com quem ele teve relação, afirmava que o filho era dele”. “Essa usuária abandonou o menino com ele e a atual companheira", afirmou o sargento.

Segundo o UOL, a tia do garoto disse que o menino teria um “problema psiquiátrico” e que "dava muito trabalho".

A criança foi levada para o Hospital Ouro Verde, também em Campinas, com quadro de desidratação extrema. O menino foi alimentado e aguarda resultados de exames. A alta só vai acontecer quando ele estiver em um peso considerado ideal.

Na última segunda-feira, o portal R7 informou que o menino segue internado e deverá ser encaminhado a um abrigo assim que receber alta. O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher de Campinas. O pai, a madastra e a irmã mais velha do garoto, suspeitos de praticar os crimes, foram presos em flagrante.