Meio a meio: pesquisadores descobrem pássaro metade macho, metade fêmea

·1 minuto de leitura
Animal pode ter dificuldade de encontrar um par (Foto: Annie Lindsay/ Powdermill Nature Reserve/ Carnegie Museum of Natural History)
Animal pode ter dificuldade de encontrar um par (Foto: Annie Lindsay/ Powdermill Nature Reserve/ Carnegie Museum of Natural History)

Pesquisadores dos Estados Unidos encontraram um fenômeno muito raro: um pássaro metade macho, metade fêmea. A descoberta foi feita por cientistas da reserva natural Podermill, no Carnegie Museum of Natural History, em Pittsburgh, Pensilvânia.

Segundo informações da CNN, esse foi um dos cinco pássaros metade macho, metade fêmea, descoberto entre 800 mil pesquisados. Foi a primeira vez em 15 anos que pesquisadores encontraram o fenômeno.

“Todos aqui, toda a equipe, estão muito animados. Tinha o interesse científico, claro. Mas também a felicidade de ver algo que é tão raro”, disse Annie Lindsay, gerente do programa de pássaros da reserva natural, à CNN.

O pássaro é um grosbeak-de-peito-rosa. Nessa espécie, os machos têm asas rosas, enquanto as fêmeas têm coloração amarelada. Este, por sua vez, tem uma asa de cada cor. Essa variação genética é conhecida como ginandromorfismo.

Leia também

Annie Lindsay ainda explicou que, provavelmente, o animal não tem qualquer tipo de vantagem pela variação genética. “Definitivamente vai impactar na habilidade de encontrar um par. Não sabemos se o lado de fêmea tem um ovário funcional. Se tiver, e estiver apto a atrair um par macho, ele poderia reproduzir”, afirma.

O pássaro já tem mais de um ano, o que significa que, mesmo com o fenômeno raro, é capaz de sobreviver durante a vida adulta.