Meghan Markle e Kate Middleton mal se falam, diz site

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) Meghan Markle, 38, e Kate Middleton, 38, mal se falam há meses, informou na segunda-feira (13) a US Weekly. Segundo a publicação, o relacionamento das cunhadas é complexo e está muito estremecido mesmo antes do anúncio do príncipe Harry e de Meghan de se afastarem das funções da realeza britânica. 

"Elas mal se falam", disse uma fonte à US Weekly. A última vez que as duas foram vistas juntas em público foi em julho de 2019, em uma partida de polo dos príncipes Harry e William. 

De acordo com outra fonte ouvida pela publicação, o relacionamento entre as cunhadas é complicado porque elas são de "dois mundos totalmente diferentes". 

Embora inicialmente elas tenham se dado bem quando se conheceram em 2017, especulações sobre problemas entre as cunhadas começaram a surgir na imprensa britânica no final de 2018. 

Ainda de acordo com a US Weekly, Kate e William foram surpreendidos pelo anúncio de Meghan e Harry por independência financeira da família real. O site também afirma que Kate se sentiu muito ofendida porque ela e William sempre ajudaram Harry quando ele tinha problemas. "Ela atuou como mentora de Harry antes de Meghan entrar em cena e odeia ver seu marido tão chateado. "

Por outro lado, a mulher de Harry se sentia isolada no Reino Unido. "Suas mãos estão atadas e ela não tem permissão para se defender. Tem sido muito difícil.", disse uma outra fonte para a revista. 

A rainha Elizabeth 2ª teria requisitado aos irmãos que se posicionem de forma unida enquanto o assunto continua nas manchetes dos jornais britânicos.

Na segunda (13), Harry e William divulgaram uma rara declaração pública contra uma reportagem publicada em um jornal inglês --que, sem identificar a fonte, dizia que Harry e Meghan estavam sofrendo "bullying" por parte de William, que não seria acolhedor com a cunhada.

"Para irmãos que se importam tanto com assuntos envolvendo saúde mental, o uso de linguagem inflamatória dessa maneira é ofensiva e potencialmente prejudicial", dizia o comunicado assinado pelos dois.

TRANSIÇÃO

Em reunião na segunda-feira (13), a rainha Elizabeth 2ª divulgou um comunicado dizendo que concordou com a decisão de Harry e Meghan de serem mais independentes da família real britânica, e estabeleceu um período de transição para esse processo.

"Minha família e eu apoiamos totalmente o desejo de Harry e Meghan de criar uma nova vida como uma jovem família", declarou a monarca de 93 anos no texto, no qual qualifica as discussões sobre o tema de "muito construtivas".

"Apesar de preferirmos que eles se mantivessem como membros da família real em período integral, respeitamos e entendemos seu desejo de viver uma vida mais independente como uma família, enquanto permanecem como uma parte valiosa da minha família."

Ela afirma que haverá um período de transição no qual o casal vai se dividir entre o Reino Unido e o Canadá e acrescentou que há mais trabalho a ser feito para finalizar os arranjos, mas pediu que as decisões finais sejam tomadas "nos próximos dias".

O encontro, que ocorreu em Sandringham, na residência privada da rainha, incluiu também o pai de Harry (príncipe Charles) e o irmão dele, William. 

Em uma publicação no seu canal oficial no Instagram no último dia 8, o duque e a duquesa de Sussex, como Harry e Meghan são conhecidos formalmente, anunciaram que querem "se afastar do papel de membros seniores da família real" britânica e trabalhar para conquistar a própria independência financeira. Eles escreveram que tomaram a decisão após "muitos meses de reflexão e discussões internas".