Megan Thee Stallion vence Grammy e artista revelação

·7 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O 63º Grammy nem precisou começar neste domingo (14) para perceber que a sua versão pandêmica seria bem diferente daquela dos anos anteriores. Como a premiação não tem plateia, poucos artistas passaram por seu tapete vermelho. Alguns deles conseguiram, porém, exibir os looks que usariam na cerimônia. A cantora Lizzo, grande destaques da edição passada que não concorre este ano, surgiu, por exemplo, com um vestido verde. Já o rapper porto-riquenho Bad Bunny publicou uma foto com um girassol e uma touca com orelhas de coelho, bem ao seu estilo. Brittany Howard, vocalista da banda Alabama Shakes agora em carreira solo, vestiu preto da cabeça aos pés. Megan Thee Stallion —ganhadora do prêmio de artista revelação, cujo hit “Savage”, colaboração com Beyoncé, é uma das grandes músicas desta noite— chegou com tomara que caia laranja cintilante, com fenda na perna. Ela estava acompanhada da cantora Doja Cat, que optou por um vestido preto e branco, de manga comprida, com um decote até o umbigo. O BTS recriou um cenário de tapete vermelho direto do seu país natal, a Coreia do Sul, para exibir os looks desta noite. O grupo de k-pop vestia a coleção de inverno de 2021 da Louis Vuitton. Já na cerimônia em si, em vez de surgir no centro do palco, cercado por astros e executivos da indústria fonográfica, o apresentador Trevor Noah apareceu do lado de fora do ginásio Staples Center, onde tradicionalmente acontece a premiação, para conscientizar o público do isolamento social. Ele foi gradativamente entrando na estrutura de diversos palcos, sem plateia, montado para a premiação. Os artistas apareceram dispostos pelo palco com uma distância considerável entre si. Harry Styles foi o primeiro a cantar, mostrando o hit “Watermelon Sugar”. “É impressionante que alguém tão bonito e com tanta talento venha do mesmo lugar que Boris Johnson”, disse Trevor Noah logo depois da performance. Billie Eilish, destaque do Grammy de 2020, cantou a melancólica “Everything I Wanted”, lançada na quarentena, ao lado do irmão, Finneas, e o trio Haim fechou o primeiro bloco de performances da cerimônia. Megan Thee Stallion —cujo hit “Savage”, colaboração com Beyoncé, já ganhou em melhor performance de rap— levou de cara um dos principais prêmios, o de artista revelação. A cantora Lizzo foi quem apresentou o prêmio, numa estrutura ao ar livre. Megan ficou surpresa com a vitória, e com toda a situação da premiação pandêmica. Tirou a máscara e, emocionada no discurso, chegou a se distrair com um carro passando ao fundo. É um exemplo do clima despojado da cerimônia deste ano. VEJA A LISTA COM OS PRINCIPAIS INDICADOS E OS VENCEDORES JÁ ANUNCIADOS Gravação do ano ​'Black Parade,' de Beyoncé 'Colors', de Black Pumas 'Rockstar', de DaBaby com Roddy Ricch 'Say So', de Doja Cat 'Everything I Wanted', de Billie Eilish 'Don’t Start Now', de Dua Lipa 'Circles', de Post Malone 'Savage', de Megan Thee Stallion Disco do ano 'Chilombo', de Jhené Aiko 'Black Pumas', de Black Pumas 'Everyday Life', de Coldplay 'Djesse Vol. 3', de Jacob Collier 'Women in Music Pt. III', de Haim 'Future Nostalgia', de Dua Lipa 'Hollywood’s Bleeding', de Post Malone 'Folklore', de Taylor Swift Música do ano 'Black Parade', de Beyoncé 'The Box', de Roddy Ricch 'Cardigan', de Taylor Swift 'Circles', de Post Malone 'Don’t Start Now', de Dua Lipa 'Everything I Wanted', de Billie Eilish 'I Can’t Breathe', de H.E.R. 'If the World Was Ending', de JP Saxe com Julia Michaels Artista revelação Ingrid Andress Phoebe Bridgers Chika Noah Cyrus D Smoke Doja Cat Kaytranada Megan Thee Stallion Melhor álbum de rock 'The New Abnormal', de The Strokes 'Sound & Fury', de Sturgill Simpson 'Daylight', de Grace Potter 'A Hero's Death', de Fontaines D.C. 'Kiwanuka', de Michael Kiwanuka Melhor performance de rock Fiona Apple, por 'Shameika' Phoebe Bridgers, por 'Kyoto' Haim, por 'The Steps' Brittany Howard, por 'Stay High' Grace Potter, por 'Daylight' Big Thief, por 'Not' Melhor música de rock 'Kyoto', de Phoebe Bridgers 'Not', de Big Thief 'Lost in Yesterday', de Tame Impala 'Stay High', de Brittany Howard 'Shameika', Fiona Apple Melhor álbum de música alternativa 'Fetch the Bolt Cutters', de Fiona Apple 'Punisher', de Phoebe Bridgers 'Hyperspace', de Beck 'Jaime', de Brittany Howard 'The Slow Rush', de Tame Impala Melhor álbum latino ou urbano 'YHLQMDLG', de Bad Bunny 'Pausa', de Ricky Martin '3:33', de Debi Nova 'Mesa para Dos', de Kany García 'Por Primera Vez', de Camilo Melhor álbum de R&B progressivo 'Ungodly Hour', de Chloe X Halle 'CHILOMBO', de Jhene Aiko 'Free Nationals', de Free Nationals 'F*** Yo Feelings', de Robert Glasper 'It Is What It Is', de Thundercat Melhor álbum de R&B 'Take Time', de Giveon 'Happy 2 Be Here', de Ant Clemons 'To Feel Love/d', de Luke James 'Bigger Love', de John Legend 'All Rise', de Gregory Porter Melhor música de R&B 'Better Than I Imagine', de Robert Glasper com H.E.R. e Meshell Ndegeocello 'Black Parade', de Beyoncé 'Collide', de Tiana Major9 e Earthgang 'Do It', de Chloe X Halle 'Slow Down', de Skip Marley com H.E.R. Melhor álbum de rap 'Black Habits', de D Smoke 'Alfredo', de Freddie Gibbs & The Alchemist 'A Written Testimony', de Jay Electronica 'King’s Disease', de Nas 'The Allegory Royce', de Da 5’9″ Melhor música de rap 'The Box', de Roddy Ricch 'The Bigger Picture', de Lil Baby 'Laugh Now, Cry Later', de Drake com Lil Durk 'Rockstar', de DaBaby com Roddy Ricch 'Savage', de Megan Thee Stallion com Beyoncé Melhor performance de rap 'Deep Reverence', de Big Sean com Nipsey Hussle 'Bop', de DaBaby 'What’s Poppin', de Jack Harlow 'The Bigger Picture', de Lil Baby 'Savage', de Megan Thee Stallion com Beyoncé 'Dior', de Pop Smoke Melhor performance pop solo 'Yummy', de Justin Bieber 'Say So', de Doja Cat 'Everything I Wanted', de Billie Eilish 'Don’t Start Now', de Dua Lipa 'Watermelon Sugar', de Harry Styles 'Cardigan', de Taylor Swift Melhor performance de grupo ou duo pop 'Un Día (One Day)', de J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny e Tainy 'Intentions', de Justin Bieber com Quavo 'Dynamite', de BTS 'Rain on Me', de Lady Gaga com Ariana Grande 'Exile', de Taylor Swift com Bon Iver Melhor disco de pop vocal 'Changes', de Justin Bieber 'Chromatica', de Lady Gaga 'Future Nostalgia', de Dua Lipa 'Fine Line', de Harry Styles 'Folklore', de Taylor Swift Melhor performance de metal 'Bum-Rush', de Body Count 'Underneath', de Code Orange 'The In-Between', de In the Moment 'Bloodmoney', de Poppy 'Executioner’s Tax (Swing of the Axe) - Live', de Power Trip Melhor música dançante ‘10%’, Kaytranada com Kali Uchis ‘On My Mind’, Diplo & SIDEPIECE ‘My High’, Disclosure com Aminé & Slowthai ‘The Difference’, Flume com Toro y Moi ‘Both Of Us’, Jayda G Melhor disco de música eletrônica ‘Bubba’, Kaytranada ‘KiCk i’, Arca ‘Planet's Mad’, Baauer ‘Energy’, Disclosure ‘Good Faith’, Madeon Produtor do ano Jack Antonoff Dan Auerbach Dave Cobb Flying Lotus Andrew Watt Melhor disco de música cristã contemporânea ‘Jesus Is King’, Kanye West ‘Run To The Father’, Cody Carnes ‘All Of My Best Friends’, Hillsong Young & Free ‘Holy Water’, We The Kingdom ‘Citizen Of Heaven’, Tauren Wells Melhor disco de reggae ‘Got To Be Tough’, Toots & The Maytals ‘Upside Down 2020’, Buju Banton ‘Higher Place’, Skip Marley ‘It All Comes Back To Love’, Maxi Priest ‘One World’, The Wailers Melhor álbum de jazz instrumental 'On the Tender Spot of Every Calloused Moment', de Ambrose Akinmusire 'Waiting Game', de Terri Lyne Carrington e Social Science 'Happening: Live at the Village Vanguard', de Gerald Clayton 'Trilogy 2', de Chick Corea, Christian McBride & Brian Blade 'Roudagain', de Joshua Redman, Brad Mehldau, Christian McBride & Brian Blade Melhor filme musical 'Beastie Boys Story', de Beastie Boys 'Black Is King', de Beyoncé 'We Are Freestyle Love Supreme', de Freestyle Love Supreme 'Linda Ronstadt: The Sound of My Voice', de Linda Ronstadt 'That Little Ol’ Band From Texas', de ZZ Top Melhor videoclipe ‘Brown Skin Girl’, de Beyoncé, Blue Ivy & WizKid ‘Life Is Good’, Future com Drake ‘Lockdown’, Anderson .Paak ‘Adore You’, Harry Styles ‘Goliath’, Woodkid Melhor álbum de música global 'Twice as Tall', de Burna Boy 'Amadjar', de Tinariwen 'Love Letters', de Anoushka Shankar 'Agora', de Bebel Gilberto 'Fu Chronicles', de Antibalas Melhor álbum de jazz latino 'Tradiciones', de Afro-Peruvian Jazz Orchestra 'Four Questions', de Arturo O'Farrill & The Afro-Latin Jazz Orchestra 'City of Dreams', de Chico Pinheiro 'Viento y Tiempo - Live at Blue Note Tokyo', de Gonzalo Rubalcaba & Aymée Nuviola 'Trane’s Delight', de Poncho Sanchez​