Médicos alertam para cuidado ao segurar os bebês após vídeos de Mayra Cardi no Instagram

Médicos alertam para cuidado ao segurar os bebês após vídeos de Mayra Cardi no Instagram (Foto: Reprodução/ Instagram @mayracardi)

Qual a forma correta de segurar um recém-nascido? Todas as mães se fazem essa pergunta ao receber seus filhos nos braços pela primeira vez. Na última semana, a questão gerou polêmica na internet após a life coaching Mayra Cardi postar em sua conta no Instagram vídeos com sua filha Sophia, de apenas um mês e meio, no colo, com a cabeça caída para trás. “Ouvi a vida toda a minha mãe dizendo que era preciso segurar a cabecinha do bebê, porque ele ainda não tinha firmeza”, conta Vanda Cuxinier, mãe de quatro filhos já crescidos. Nos stories, Mayra afirma que a posição é a favorita da bebê.

O Yahoo procurou especialistas para entender melhor o caso: “Os recém-nascidos ainda não apresentam tônus suficiente em toda sua musculatura, nascem ‘molinhos’ e não conseguem sustentar o pescoço e a cabeça, ou virar-se no berço, por exemplo. Sendo assim, sempre devemos dar suporte em todo o corpinho do bebê ao segurá-lo, principalmente a cabeça. Temos que assegurar que o pescoço e cabeça estejam bem apoiados e alinhados”, explica a médica pediatra Larissa Athayde Costa. Nos bebês, a cabeça é proporcionalmente maior e mais pesada do que nos adultos, por isso tende a pender para baixo. Pode se dizer que ela representa um quarto do corpo, enquanto num adulto a proporção é um sétimo.

No processo de desenvolvimento de cada um, é mais ou menos entre dois e três meses de vida que os bebês passam a ter força suficiente na musculatura do pescoço para que ele próprio sustente a cabeça. “Por isso é super importante dar apoio à cabecinha e ao pescoço até que chegue nessa fase”, alerta a pediatra. Sobre os danos que podem ser causados em decorrência dessa falta de apoio, ela diz: “O pescoço possui diversas estruturas importantes como: nervos, ligamentos, traqueia, esôfago, todas essas estruturas podem sofrer algum dano caso haja alguma lesão cervical”.

Especializada em ortopedia pediátrica, a médica Graziella Monteiro lembra: “São as mãos de um adulto que proporcionarão segurança ao recém-nascido. Ao segurar um bebê, necessitamos passar a ele toda a estabilidade e tranquilidade possível, para que ele se sinta em equilíbrio e seguro”. E alerta: “Pelo pescoço passam todos os nervos do corpo. Caso não tenha o cuidado necessário, pode levar a uma lesão neuromuscular”.

Além da forma de segurar, a médica também fala da importância em ser delicada com a cabecinha do bebê. “Temos ainda as moleiras, espaços sem ossos na cabeça do bebê. Elas existem para permitir um adequado crescimento do cérebro no primeiro ano de vida, período que a cabeça cresce mais”, explica a Dra. Graziella.