Problemas gástricos: como evitar os mais comuns?

A alimentação é um dos principais fatores para os problemas gástricos (Getty Images)

Todo mundo já passou por algumas situações desagradáveis e conhece bem os sintomas da azia – uma queimação horrível no estômago – ou já penou com uma constipação e ou com diarreia. “Esses distúrbios comuns afetam o sistema digestivo e ocorrem, em sua maioria, devido a um erro alimentar crônico da pessoa”, explica o médico Rodrigo Barbosa, cirurgião do aparelho digestivo do Hospital Sírio Libanês.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Leia também

Felizmente, esses problemas são quase sempre simples e fáceis de serem tratados. Porém, em alguns casos, podem indicar alguma condição mais séria. Veja quais são os sintomas dos quatro problemas gástricos mais comuns e como evitá-los:

Refluxo gastroesofágico ou azia?

Primeiramente é importante saber a diferença entre os dois: a azia não é uma doença, e sim um dos sintomas do refluxo que é o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago (sensação de retorno de líquido para a garganta).

Por que isso acontece o refluxo?

O refluxo ocorre devido à fraqueza da musculatura que separa o estômago do esôfago e diminuição dos seus movimentos de propulsão. Não é um problema grave – se tratado adequadamente. Porém, caso se prolongue pode alterar a mucosa do esôfago e aumentar as chances de câncer.

Como evitar o refluxo?

Lembra daquele velho conselho popular: “não coma antes de ir dormir”?
Pois é, o ideal é fazer a última refeição do dia uma ou duas horas antes de deitar-se e optar por pequenas porções, alimentos leves e mastigar bem antes de engolir. Vale também ter cuidado com alimentos ácidos como refrigerantes, café, bebidas alcoólicas, sucos cítricos, alimentos gordurosos, frituras, mostarda, ketchup e temperos fortes. Barbosa também frisa: “vamos caprichar no consumo de fibras, saladas, legumes, frutas e evitar líquidos durante as refeições”.

Problema é quando há acúmulo de gases

Constrangedores, mas felizmente passageiros, os gases são normais e fazem parte do funcionamento intestinal. O problema é quando há acúmulo de gases, causando inchaço, dor e desconforto abdominal.

Por que os gases acontecem?

Acontece quando ingerimos determinados alimentos ricos em fibras e/ou carboidratos (feijão, lentilha, brócolis, etc) que não são bem digeridos durante a passagem pelo estômago, e aí fermentam. Outros fatores incluem alteração no trânsito intestinal, intolerância à lactose e doença celíaca. A flatulência também pode indicar problemas mais sérios como a doença de Crohn, colite ou síndrome do intestino irritável.

Como evitar os gases?

Os gases são fruto da fermentação dos alimentos (Getty Images)

Para evitar problemas com gases vale seguir as dicas dadas pelo médico Rodrigo Barbosa: “aumente o consumo de água, diminua a ingestão de leite, derivados e de bebidas gaseificadas, mastigue sempre bem os alimentos e evite ingerir líquidos durante as refeições”. Andar depois de comer também ajuda bastante a digestão.

Diarreia é decorrente de algo que se comeu

Ocorre geralmente por causa de infecções virais ou bacterianas decorrentes de algo que a pessoa comeu. Mas antibióticos, intolerância à lactose ou ao glúten e até mesmo ansiedade podem ser fatores desencadeantes da diarreia. Costuma durar por apenas alguns dias e, nesse período, é importante beber bastante líquido. Caso persista e seja acompanhada de febre alta, perda de peso e vômito, procure um médico.

Constipação é o mesmo que “prisão de ventre”

Também conhecida como “intestino preso”, ou “prisão de ventre”, a constipação acontece quando há apenas duas ou três evacuações por semana e com grande esforço.

Por que acontece e como prevenir constipação?

É mais comum entre os idosos e mulheres, principalmente durante a gravidez. Uma dieta pobre em fibras, ingestão de líquidos e rica em carnes e produtos industrializados, além do sedentarismo, são fatores que propiciam a constipação.

Muito fácil! Adotar hábitos alimentares saudáveis, deixar a preguiça de lado e praticar alguma atividade física.