"Medalhões" decepcionam na Série A e viram mais custos do que benefícios

Hernanes é um dos medalhões que jogou pouca bola na temporada. Foto: Marcello Zambrana/AGIF

Chegamos ao mês de outubro, faltando 15 rodadas para terminar a Série A do Brasileiro. Enquanto o Flamengo é o destaque entre os times e Gabriel Barbosa o biartilheiro do campeonato, vemos também alguns nomes, técnicos e equipes decepcionarem na competição. O blog adora listas e puxa algumas opções, com medalhões ponteando o grupo. Confira abaixo.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

Ganso - Fernando Diniz acha ele genial, eu também gosto, mas suas atuações apenas razoáveis e as atitudes contra Oswaldo de Oliveira o colocaram na berlinda, apesar da faixa de capitão no Fluminense. Com quase 30 anos, decepciona.

Leia também:

Hernanes - sempre foi um bom reforço para o São Paulo, mas a temporada é para esquecer, até o momento. Está jogando com o nome, com limitações físicas e desempenhos regulares, no máximo.

Thiago Neves - o meia do Cruzeiro virou o “homem” da diretoria, mas dentro de campo está muito distante do que já foi um dia. Isso aliado ao motim contra Rogério Ceni o transformaram num problema técnico e financeiro.

Lucas Lima - um ano sem fazer gol e ainda com espaço no Palmeiras. Parece desmotivado, mesmo com chances de Mano Menezes. Longe do bom meia de quatro anos atrás.

Borja - de goleador do Palmeiras em 2018 a um mero reserva do elenco. Virou chacota entre os torcedores e não acerta mais o gol.

Pato - segue com qualidades, mas as constantes lesões já deixaram o custo bem maior do que o benefício no São Paulo. E pensar que foi projetado como melhor do mundo por muita gente da imprensa, quando surgiu em 2006.

Ramiro - não tem o mesmo status dos colegas acima, mas parece que deixou o bom futebol no Grêmio. Virou apenas mais um no Corinthians.

Diego Souza - sumiu no Botafogo. Deixou de ser decisivo e não se transformou no líder que a torcida esperava.

Cueva - sua contratação merece um grande debate no Conselho Deliberativo do Santos. Problemaço e zero benefício. Na conta de Sampaoli e do presidente Peres.

Cuca - não conseguiu fazer o São Paulo dar liga, quando recebeu reforços. Quanto mais o time treinou, menos jogou. Segue como bom técnico, mas foi muito mal.

Algumas comparações também deixam os nomes acima em desvantagem na hora das avaliações. Caras como Rafinha, Gérson e Filipe Luís chegaram da Europa e confirmaram as expectativas. Tardelli começou mal no Grêmio, mas já melhorou. Guerrero ficou fora dos gramados por suspensão e voltou com bons números ao Inter. Cada vez mais, o custo-benefício será debatido mensalmente pelos valores pagos a jogadores cheios de cartaz, que se destacam mais por currículos do que pela realidade.

Dia 08 de dezembro fecha o ano e veremos quem pode acrescentar alguma coisa, ainda.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter