O que é e quais são os fatores de risco do infarto de Maurício Mattar

(Reprodução/Instagram/@mauriciomattar)

O cantor e ator Maurício Mattar, de 55 anos, foi internado recentemente no Hospital das Clínicas de Botucatu, no interior de São Paulo, devido a um infarto. Após ser submetido a um cateterismo, o artista foi liberado. O que Mattar passou é uma típica caso que poderia ser fatal. Isso porque a cada ano, o infarto causa a morte de 100 mil brasileiros, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

O mais conhecido deles é o infarto agudo do miocárdio (também chamado de ataque cardíaco), que mata 15 milhões de pessoas no mundo por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os fatores de risco, que aumentam as chances de ocorrer o quadro, são: obesidade, falta de exercícios, alimentação incorreta, que formam aquelas famosas “placas de gordura” que entopem as artérias. 

Leia também

Dessa forma, a artéria entope e o coração pára de bombear o sangue adequadamente. Sem irrigação correta, a artéria começa a morrer, o que causa – em última instância – o infarto. Dependendo da extensão do comprometimento, pode ser que o coração pare de funcionar.

Fumantes, pessoas com doenças como diabetes e hipertensão, aquelas que possuem níveis altos de colesterol, estresse, ou que possuem histórico familiar de doenças cardíacas estão mais suscetíveis ao infarto. Nessa animação, divulgada pelo médico Dráuzio Varella em seu canal, dá para entender como funciona o infarto:

Sintomas

Uma dor forte no peito e no braço esquerdo são sinais claros de que o coração não está funcionando como deveria e que o infarto está acontecendo. A dor, vale ressaltar, também pode se dar de forma mais fraca – e algumas pessoas podem sequer sentir dor, sendo ela aparecendo em forma de ardor no peito, que é por vezes confundido com azia (a sensação é próxima).

Suor, falta de ar, ansiedade, agitação, sensação de morte iminente, náuseas, vômito, tontura, desmaio e ansiedade também são outros sintomas típicos.

Grupos de risco

Mulheres, idosos, negros e pessoas com diabetes ou insuficiência cardíaca são parte de um grupo de risco que geralmente não apresentam as dores típicas e que possuem mais chance de ter problemas no coração. Vale destacar que pessoas acima dos 40 anos têm maior probabilidade de ter infarto, mas ele também pode acontecer em jovens com 20 anos.

Em casos de infarto, o recomendado é que as vestes da vítima sejam afrouxadas e que o atendimento médico seja imediatamente chamado - levar a pessoa até o hospital pode demorar um tempo para o atendimento que pode ser crucial para a recuperação do paciente. Se você for a vítima, não dirija até o hospital.