Mauricio Manieri recorda infarto e celebra feat com Jon Secada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A expressão popular "depois da tempestade vem a bonança" descreve exatamente o bom momento que o cantor Mauricio Manieri, 52, vive atualmente na carreira e na vida pessoal. Após o período de paralisação dos shows com a pandemia e um infarto que o levou a UTI, ele retomou a turnê "Classics - O Amor está no Ar" com shows esgotados em várias cidades. Em dezembro, ele conta com a participação internacional do cantor cubano Jon Secada.

Secada é uma das principais atrações do DVD gravado por Manieri ao vivo no final de 2019, no Teatro Bradesco, em São Paulo. Além dele, participaram do projeto musical o sogro de Manieri, o cantor e ator egípcio radicado o Brasil, Gilbert, e os artistas brasileiros Ivete Sangalo, Chitãozinho & Xororó, Alexandre Pires e Daniel.

O cubano cantou com Manieri as músicas "Angel" e "Just Another Day", que farão parte dos shows da dupla em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro e no navio do cantor Daniel -nos dias 10, 13, 15, 16, 17 e 18 de dezembro. "Vamos brindar o público com um espetáculo super produzido, com muito romantismo e emoções. Tenho certeza que viveremos noites inesquecíveis."

Manieri promete uma experiência inédita e mais intimista com público durante as duas horas de show. No setlist, estarão sucessos de sua carreira e canções românticas dos anos 1970, 1980 e 1990, entre elas, "Como Vai Você", "Bem Querer", "Love Is In The Air" e "Little Respect". "São músicas que marcaram a minha vida e que eu gosto de escutar", explica o cantor sobre a escolha do repertório do show. "O show é uma fantasia realizada, algo que sempre sonhei."

O cantor de voz grave e rouca marcante revela que tem momentos na apresentação que sente como se as músicas de outros artistas que interpreta fossem dele mesmo. "Eu pego, por exemplo, a música 'É Tarde Demais', do Luiz Carlos, do Raça Negra, e faço do meu jeito. Só quem assiste ao show consegue entender", diz o cantor, que planeja em 2023 gravar outro álbum com clássicos românticos.

Segundo o artista, grande parte do seu público nos shows são seguidores que interagem com ele nas redes, participam de lives e sugerem repertórios. Foi justamente após uma live, em setembro de 2020 em plena pandemia, que Manieri passou mal e foi levado ao hospital com falta de ar e fortes dores no peito decorrentes de um infarto. Após procedimento cirúrgico, o cantor ficou uma semana na UTI. "Eu pedi a Deus para que pudesse viver para cuidar do meu filho, que estava com 10 anos, e estar com minha mulher."

Manieri conta que nesse momento difícil foi inevitável não lembrar do irmão Marcelo, seu braço direito e que tocava em sua banda, que morreu aos 38 anos de infarto. Ele afirma que passou um filme na sua cabeça e só quem perdeu um ente querido pode compreender essa dor grande que dilacera por dentro. "Graças a Deus eu consegui me recuperar, mas revivi toda essa emoção", disse. "O que passei foi muito próximo do que vivenciei com o meu irmão."

Superado o problema de saúde, o cantor disse que mudou os hábitos alimentares para não ter mais problemas nas artérias e passou a fazer mais atividades físicas -além do futebol que gosta de jogar com os amigos. Ele garante que também passou a enxergar as questões da vida com mais leveza. "O coração não gosta que você fique muito bravo porque ele fica meio pressionado. Ele gosta que você fique tranquilo", diz, rindo

Sobre as eleições deste ano, Manieri diz que não vai declarar apoio público a nenhum candidato porque não tem acompanhado tão profundamente o que está acontecendo na política. Ele também admite que não é muito bom para política, mas estará sempre à disposição do país. " Eu acho que a minha colaboração, o que eu posso fazer, é com a minha arte trazendo leveza e beleza com os meus shows."