Maurício e Obina relembram briga: 'Palmeiras não precisava nos demitir'

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


A briga entre o zagueiro Maurício e o atacante Obina praticamente tirou o Palmeiras, então treinado por Muricy Ramalho, da briga pelo título brasileiro de 2009. Com os dois expulsos por uma troca de socos ainda dentro de campo no intervalo, o Verdão acabou derrotado por 2 a 0 pelo Grêmio no Palestra Italia.

Mais de 10 anos depois, em participação no canal do 'Cartolouco', a dupla relembrou o triste episódio, que acabou com a demissão dos dois atletas por parte do ex-presidente do Verdão, Luiz Gonzaga Belluzzo.

Obina e Maurício concordam que a diretoria poderia ter sido um pouco menos enérgica para lidar com o caso.

> Confira aqui a classificação do Campeonato Brasileiro

- Eles tomaram uma atitude drástica. Não nos deixaram mais vestir a camisa do Palmeiras, aquilo me doeu muito. Até o Marcos foi falar pra não nos demitirem, o Muricy queria que a gente só fosse multado, mas o presidente tomou a atitude dele - disse Obina.

- A briga aconteceu pois tomamos o gol e logo acabou o primeiro tempo. O Obina veio me cobrar pelo erro no lance, e eu xinguei ele. A partir daí nos descontrolamos e um foi pra cima do outro - lembra Maurício.

Já o atacante Obina relembra com tristeza de como ficou descontrolado com o ex-parceiro de clube:

- Eu fiquei tão transtornado que passei por cima do Diego Souza. Ele é um monstro, mas eu estava maluco, não quis nem saber - disse o ex-atacante, que em 2012 voltou ao clube.

Maurício falou também de como o episódio o ajudou na continuidade da sua carreira:

- Eu amadureci muito, depois de alguns anos passei por situações piores na Europa, e consegui me controlar. Aquele erro fez a minha carreira desabar. Perdi o emprego, todo aquele sonho de ser jogador em um time profissional foi para o ralo - afirmou o zagueiro, que atualmente joga na Malásia.