O que a masturbação pode fazer por você na quarentena

Incluir discussões sobre sexualidade não é futilidade (Foto: Getty Images)

Por Ava Freitas

O mundo ainda não sabe o suficiente para afirmar ou descartar a transmissão do coronavírus via relação sexual. Mas essa indefinição não precisa significar que você precisa deixar sua sexualidade de lado. Descobrir ou redescobrir a masturbação – entre outros jogos eróticos – pode ajudar você a enfrentar melhor a quarentena.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

"É preciso usar a criatividade para ter vida sexual neste momento. Por mais que, ao nosso redor, haja pessoas sofrendo, não precisamos engrossar o caldo do sofrimento. Viver nossa sexualidade traz bem-estar psíquico, o que contribui para o bem-estar no entorno", afirma Iracema Teixeira, mestre em sexualidade humana, doutora em psicologia e membro da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana. 

Leia também

Para Iracema, incluir discussões sobre sexualidade não é futilidade, é buscar saúde emocional. "Precisamos pensar na saúde como um todo", diz a especialista.

Tudo bem que não há estudos que comprovem o reforço no sistema imunológico – nem do sexo nem da masturbação –, mas é fato que ambos causam efeitos no organismo por estimularem a produção de substâncias que nos trazem sensação de prazer como também inibirem de outras que nos prejudicam.

Alívio do estresse

 "A atividade erótica libera neurotransmissores, entre os quais, a dopamina, que atua nos hormônios do estresse – diminuindo sua ação –, e endorfinas, responsáveis pelas sensações de alívio e de euforia", explica a doutora em psicologia.

Por isso, se a masturbação faz parte da sua sexualidade, pratique-a sem medo e culpa (por estar sentindo necessidade de sexo com tanta coisa acontecendo no mundo). E, se você ainda não a tem no seu repertório sexual, é uma boa hora para considerá-la.

Mais conexão

Se você está confinado com seu par e não se sente seguro para praticar sexo de forma tradicional, a masturbação a sós ou a dois pode ajudar você a manter a atividade sexual. Se o assunto for um tabu entre você e seu parceiro ou parceira, a convivência intensa trará oportunidades naturais de tratar do tema. "Não existe um momento certo para falar sobre masturbação. Não precisa ser nada formal. Pode ser durante o café da manhã. Um pode virar para o outro e falar estou sentindo falta de namorar e se a gente experimentasse e tal..."”

Já se você está de quarentena a sós, pode começar a experimentar o bem-estar que a masturbação pode trazer a você neste momento. "Tenho uma cliente de 29 anos, recém-separada e sem namorado, que, apesar do tesão, não se sentia à vontade para comprar brinquedos eróticos. Ela pediu um pênis de borracha para uma amiga muito próxima e descobriu como a masturbação pode ser prazerosa."

"Incluir a sexualidade na manutenção da saúde vai tornar a convivência [com os outros e consigo mesmo] mais lúdica e contribuir para sairmos fortalecidos do confinamento", finaliza Iracema Teixeira.