Marília Mendonça "nadou contra maré" de sertanejos bolsonaristas em 2018

Marília Mendonça em gravação de
Marília Mendonça em gravação de "Fã Clube". Foto: Reprodução/Youtube

Resumo da notícia:

  • Marília Mendonça foi na contramão dos sertanejos bolsonaristas

  • Cantora fez campanha contra atual presidente nas últimas eleições

  • Músicos se reuniram com Bolsonaro no último final de semana

Em meio a pronunciamentos de artistas sertanejos a favor da reeleição de Jair Bolsonaro (PL) para a presidência da República, Marília Mendonça, que morreu em novembro de 2021, é relembrada por ter sido contra o governante nas eleições passadas.

Em 2018, a Rainha da Sofrência não fugiu do comprometimento de se posicionar politicamente e bancou a oposição de seus colegas de gênero musical. Ela aderiu à campanha "Ele Não", que ia contra a candidatura de Bolsonaro e seus discursos conservadores.

Símbolo de empoderamento na música, Marília chegou a explicar sua opinião sobre a importância de lutar contra o machismo e reafirmar a representatividade feminina no sertanejo.

"Queria dizer, primeiramente, que a gente não precisa desse retrocesso. Sou uma mulher que lutou bastante, batalhou bastante, dentro das outras mulheres do sertanejo para quebrar todo o preconceito de um mercado completamente machista. Com certeza, Marília Mendonça é 'Ele Não'", afirmou em vídeo nas redes sociais.

"Quero que você, mulher, repense muito bem se você merece essa retrocesso na sua vida. Contra qualquer tipo de preconceito e a favor do amor", concluiu.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Reunião de sertanejos com Bolsonaro

Vale lembrar que músicos como Leonardo, Gusttavo Lima, Fernando Zor, Chitãozinho e Zezé di Camargo se reuniram com Bolsonaro no Palácio do Planalto, na última segunda-feira (17), para prestar apoio ao candidato a reeleição.

Após uma coletiva de imprensa, o chefe do Executivo levou os convidados para um dos gabinetes do palácio e os artistas fizeram lives pedindo votos a favor do político. No entanto, a única representante feminina do sertanejo naquela tarde foi Sula Miranda, cantora sertaneja que tem assumido a carreira gospel e o evangelismo há alguns anos.

Bastante diferente da posição de Marília Mendonça, a irmã de Gretchen enalteceu o governante no que diz respeito a mulheres. "Esse governo valoriza a mulher, sabe realmente onde ela tem que estar e isso é muito importante para todos nós", declarou durante reunião com o atual presidente.

Parceria gospel de Sula com Dona Ruth

Inclusive, a cantora lançou uma parceria com Dona Ruth, a mãe de Marília Mendonça, recentemente. A convidada é parte do álbum "Juntos na Fé", gravado numa igreja no Rio de Janeiro, ainda com participações de Naldo, Yudi e Bocheca.

Sula chegou a dizer ao Yahoo que a colaboração com Dona Ruth é um "propósito de Deus" de unir as duas (embora ela não seja cantora). "Não sabemos se ela vai querer dar continuidade a isso. Mas ela veio pela fé. Veio porque queria professar a fé dela, adorar a Deus e louvar", afirmou.