Marianna Armellini abandona humor para abraçar personagem vingativa em 'Salve-se Quem Puder'

FABIANA SCHIAVON
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 06.02.2017 - Marianna Armellini , atriz - Reestreia da peca Playground, direção Marco Antonio Pamio. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sempre pronta para fazer rir no dia a dia, Marianna Armellini, 41, é conhecida de programas humorísticos como "É Tudo Improviso" (Band) e da série "As Olívias na TV" (Multishow). Com a estreia de "Salve-se Quem Puder" (Globo),  a atriz quer mostrar seu lado mais dramático na televisão. 

Na novela de Daniel Ortiz, Armellini é Verônica, assistente de Hugo (Leopoldo Pacheco) que finge ser amiga de Micaela (Sabrina Petraglia), mas no fundo, ela não suporta a enteada de Helena (Flávia Alessandra), de quem planeja se vingar. Helena é a mãe sumida de uma das protagonistas Luna (Juliana Paiva). 

"Ainda não gravei maldades, mas estou lendo o roteiro e estou desesperada!", diz a atriz, em tom de brincadeira. "Ela não gosta de Micaela. Ela finge que é amiga, mas quer se vingar por um acontecimento trágico que aconteceu no passado, que eu não posso revelar agora", explica a atriz, que mudou bastante o seu visual -ela está com os cabelos lisos e roupas mais sérias em cena.

Verônica vai empregar ainda seus dois primos, Gael (Cirillo Luna) e Bruno (Marcos Pitombo), na empresa onde trabalha. "Os dois vão acabar se apaixonando por Micaela, mas um deles estará, na verdade, de conluio com a minha personagem para colocar em prática esse plano de vingança", adianta Armellini.

"Não posso dizer qual deles é do mal, isso vai aparecer, aos poucos", completa a atriz, sem dar muitos spoilers sobre os planos de Verônica.

Armellini diz que "Salve-se Quem Puder" é a oportunidade de ela sair de sua zona de conforto, no caso o humor, em papeis na televisão. "No teatro e no cinema, eu fiz papeis que fogem da comédia, mas na TV sempre foi humor, por isso eu vou que eu vou soltar o clichê de dizer que esse papel foi um presente!"

"Amo fazer comédia e tenho prazer imenso em fazer as pessoas rirem. Mesmo sendo um desafio variar nas personagens cômicas, é natural para mim trabalhar nesse gênero. No dia a dia, eu faço piada com tudo, por isso que sair disso é mais desafiador", diz a atriz.

"Se esse papel fosse de uma mocinha, já estaria de bom tamanho", avalia Armellini, que deu o primeiro passo um pouco fora da comédia em "Alto Astral" (2015), trama também de Daniel Ortiz. "Lá, minha personagem já estava mais para uma romântica."

Ela avalia, ainda, que não é tão simples levar sua experiência dramática do teatro para a televisão. "O tempo de ensaio do teatro é longo e sempre em cima do mesmo texto, então, dá tempo para experimentar, de criar, de mudar. Tem troca com outro ator, com a plateia. Na TV é ensaiou e gravou. O texto chega de um dia para o outro e as cenas precisam ser mais precisas e claras." 

Além de fazer parte do elenco da novela das sete, Armellini planeja se envolver em muitos projetos ao longo deste ano, já que o mundo, segundo a atriz, está meio "Salve-se Quem Puder". "A gente voltou a ter de explicar coisas básicas para as pessoas, como respeito, amor ao próximo e a empatia."

A atriz afirma que é preciso aproveitar o "tempo das trevas" para pôr a mão na massa. "Quando a arte é desafiada, a gente se sente desafiada, é a hora de falar: Aé? Vou fazer mesmo! Quero voltar para o teatro, para o cinema, quero escrever uma série, quero produzir."