Mariana Ximenes engaja movimento 'anti-tomara que caia': "Reciclar o olhar"

Foto: Cassia Tabatini para Harper's Bazaar Brasil

A atriz Mariana Ximenes se juntou à label Hering e à revista 'Harper’s Bazaar' para criar um movimento que é mais do que válido para atualidade. A intenção é que deixemos de usar termos como “tomara que caia” para usar “blusa sem alça”, e assim abolimos termos que podem remeter ao racismo. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

"Acho interessante como alguns termos que eram muito usados, a gente está tomando consciência de que não podem ser mais usados. A gente tem que reciclar nosso olhar”, disse ela para publicação.

Leia também

Mariana Ximenes. Foto: Cassia Tabatini para Harper's Bazaar Brasil

Mari também falou sobre como é importante olhar para trás e deixar de lado termos que são preconceituosos e não fazem mais sentido: “ O tomara que caia é um (deles)… É importante a gente olhar para todos esses termos, para o pensamento novo. Acho que a gente tem que procurar ter uma sociedade mais igualitária, com mais respeito pela diversidade, com acolhimento e é respeito. Respeito é bom e a gente gosta, é necessário”, completou. 

O modelo tomara que caia ganhou este nome pois sem alças ele termina rente aos seios, e tem a conotação sexual de um homem que deseja apenas a nudez da mulher.