Mariana Lima lembra relações com outras mulheres: "Imagina se ia perder a oportunidade"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
A atriz Mariana Lima. Foto: divulgação/TV Globo/Victor Pollak
A atriz Mariana Lima. Foto: divulgação/TV Globo/Victor Pollak

Resumo da notícia

  • Mariana Lima, casada com Enrique Diaz, falou sobre relações com outras mulheres

  • Atriz vai viver ex-modelo que se apaixona por médica na próxima novela das nove

  • Em entrevista, artista contou ainda sobre casamento e experiências com drogas

Intérprete da ex-modelo Ilana na próxima novela das nove, "Um lugar ao sol", que estreia na TV Globo em novembro, Mariana Lima já viveu situação parecida com a personagem, que se apaixona por outra mulher, uma médica. Casada com o ator Enrique Diaz, a artista falou sobre os antigos relacionamentos e por que decidiu preservá-los da curiosidade alheia até então.

"É claro que transei com mulheres. Imagina se eu ia perder essa oportunidade maravilhosa na vida. Eu fui profundamente apaixonada por uma mulher, tive relações com mulheres quando era adolescente e na vida adulta. Nunca falei por ser algo muito privado, não queria que fosse distorcido ou rotulado", afirmou, em entrevista à revista "Ela", do jornal "O Globo".

Leia também:

Na novela, Mariana torce para que vá ao ar um pouco da intimidade de sua personagem com seu novo interesse amoroso. A expectativa é de que o público receba bem a relação entre duas mulheres.

"Vai ter beijo. Gravamos um mais quente e um mais frio, torcendo para entrar o mais quente. Hoje não há espaço para uma cena de sexo entre duas mulheres numa novela. A gente seria massacrada. Alguns casais de mulheres foram profundamente rechaçados na TV. Sobretudo a Fernanda (Montenegro) e a Nathalia Timberg (em 'Babilônia', 2015). Ninguém gostava do casal, ninguém queria o casal. Lembro que nas pesquisas ninguém queria ver as duas se beijando", lembrou.

Sobre a relação com Diaz, Mariana classifica como "um amor profundo, tesão profissional e sexual". Há dois anos, eles decidiram morar em casas separadas - segundo ela, uma "tentativa de continuar junto".

"Eu preciso ficar sozinha também um pouco, sem ele e sem as meninas [as filhas Elena e Antônia]. Nunca a gente conseguiu ter uma relação aberta no sentido de ‘olha eu fui ali, transei, foi ótimo’. Com a gente nunca funcionou. É privado demais para o outro saber e interferir. E abre um machucado que não cura. A gente combinou de não saber. Porque, quando a gente soube, foi uma merda. Tem casal que prefere contar. Eu e o Kike não temos esse desenvolvimento (risos)", disse.

Na entrevista, Mariana também admitiu que já experimentou "tudo que é droga, de peiote no México a cogumelo, ácido, cocaína". "Só não me piquei, essa foi minha fronteira. Experimentei quase como se meu corpo fosse um laboratório. Queria saber o que aquilo provocava em mim", contou ela, que assume ter medo da dependência química. 

"Tenho amigos e familiares dependentes de álcool e de cocaína. Como comecei muito nova, abusei do meu limite. Mas consegui nunca me viciar em nada", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos