Margareth Menezes repudia destruição do patrimônio do Planalto e do Congresso

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, BRASIL, 02-01-2023: A ministra Margareth Menezes, durante sua posse do ministério da cultura, no Museu da República, na esplanada dos ministérios, em Brasília. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, BRASIL, 02-01-2023: A ministra Margareth Menezes, durante sua posse do ministério da cultura, no Museu da República, na esplanada dos ministérios, em Brasília. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A ministra da Cultura Margareth Menezes repudiou nesse domingo (8) a invasão de golpistas apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro a áreas do Congresso, do Palácio do Planalto e do STF (Supremo Tribunal Federal), que espalharam atos de vandalismo em Brasília e entraram em confronto com a Polícia Militar.

"A destruição do patrimônio da democracia, do Palácio do Planalto, do Supremo Tribunal e do Congresso Nacional. Nunca a esquerda brasileira mesmo nos tempos de trevas desrespeitaram ou danificaram ou destruíram os palácios que representam dos três poderes", escreveu a ministra no Instagram.

A ação de apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) ocorre uma semana após a posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), antecedida por atos antidemocráticos insuflados pela retórica golpista do ex-presidente no período eleitoral.

Fotografias e vídeos nas redes sociais mostram depredação de itens do patrimônio como de um crucifixo do STF, da cadeira da presidente do STF, Rosa Weber, assinada pelo designer Jorge Zalszupin, da porta do ministro do STF Alexandre de Moraes e da escultura "A Justiça", de Alfredo Ceschiatti.