Marcelo Falcão lança curta-metragem para promover música com Hungria Hip Hop

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, BRASIL, 13-02-2019: Retrato de Marcelo Falcão, ex vocalista da banda O Rappa. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, BRASIL, 13-02-2019: Retrato de Marcelo Falcão, ex vocalista da banda O Rappa. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Marcelo Falcão, 47, lança nesta sexta-feira (19) o curta-metragem "Céu Aberto". O vídeo vem acompanhado da música homônima que ele fez em parceria com Hungria Hip Hop, 29, e que traz mensagens de esperança e superação.

"Este 'clipe-filme' é toda a realidade que eu vivi e toda a molecada de periferia deste país vive", afirma o cantor. "Minha mensagem é que você pode, sim, fazer todas as mudanças positivas na sua vida, só depende de você."

O ex-Rappa elogiou o parceiro, com quem dividiu a composição da música. "Hungria comigo nesta história é uma oportunidade de estar perto não só do meu público, mas do público mais novo também e mostrar que eu sou o mesmo Falcão, que continua abordando temas que geram desconforto na sociedade e fazendo que a molecada a cada dia acredite mais nos seus sonhos", avalia.

Hungria, por sua vez, retribuiu os afagos do colega. "Trabalhar com o Falcão, foi algo que me surpreendeu muito e superou todas as expectativas", diz. "Eu esperava que fizéssemos um bom trabalho, pois sentia que tínhamos a mesma energia, mas foi além, e sem dúvidas foi um dos trabalhos mais incríveis que fiz na vida. Além de ter realizado um sonho de moleque, que era de cantar ao lado dele, conseguimos trazer uma mensagem positiva, uma mensagem de esperança, uma mensagem de sonhos."

O filme teve três dias de gravação e foi rodado no Vidigal, na zona sul do Rio de Janeiro, e no estádio Allianz Parque, em São Paulo. A direção é de Mess Santos. "O filme conta a história de um menino que tem o sonho de se tornar jogador de futebol", adianta.

"Ele nasceu em uma comunidade e enfrenta diversas dificuldades que essa realidade impõe", explica. "Há uma passagem de tempo na história e esse garoto aparece anos depois chegando no objetivo dele. Esta ideia veio ouvindo a música que traz esperança, cada verso te inspira e motiva a seguir adiante."

Os atores que aparecem no projeto são do projeto social Nós do Morro. "Uma curiosidade interessante foi que os dois atores que escolhi são parecidos [na versão criança no Rio e do jovem em SP] e ambos têm de verdade essa vontade de jogar bola", diz o diretor. "Este trabalho está recheado de coincidências boas."

Além da trama, o " clipe-filme" traz depoimentos de pessoas que são consideradas exemplos de superação, como o jogador Neymar, o humorista Whindersson Nunes e o artista plástico Eduardo Kobra. Eles aparecem contando de forma resumida suas histórias.