Marcela McGowan responde 12 dúvidas sobre sexo que ninguém pergunta ao médico

Transar afeta o bebê? Posso transar com Covid-19? Só consigo fazer sexo de meia, tenho um problema? Essas perguntas foram feitas por milhares ao...Google. A plataforma de buscas costuma ser o primeiro lugar que muita gente usa para procurar informações médicas.

Seja por vergonha ou falta de oportunidade, decidimos convidar Marcela McGowan, que já era ginecologista e especialista em sexualidade muito antes de virar ex-BBB, parar responder 12 dúvidas sobre sexo que você não pergunta ao médico. Confira.

É normal sangrar durante a relação?

Não. Pode acontecer da vagina perder a lubrificação durante o sexo e, consequentemente, gerar algum tipo de machucado. "Se for algo eventual, acontecer só uma vez, não tem problema. Só não pode ser frequente", explica Marcela.

É normal ficar dolorida depois da relação?

Depende da intensidade. Se o sexo for muito intenso, pode acontecer de ficar dolorido após o ato. "Tudo que é esporádico, a gente pode ficar um pouco mais despreocupado. Se for algo frequente, precisa investigar", fala.

É normal sair um líquido branco durante o sexo?

Sim. Há mulheres que ejaculam durante o orgasmo, inclusive. "Pode ser secreção vaginal, caso esteja próxima do período ovulatório, excesso de lubrificação... Se for branquinha, sem cheiro, normalmente é uma reação fisiológica", afirma a especialista.

Por que sonho tanto com sexo?

Pode ser algum tipo de libido reprimida. Marcela conta que é normal o ser humano ter sonhos quentes, especialmente se está num período sem transar. Não há problema nenhum, a menos que o tipo do sonho o deixe incomodado ou muito reflexivo. Neste caso, vale procurar um profissional da área de saúde mental.

Posso transar menstruada?

Sim. O sexo neste período pode aliviar sintomas de cólica e estresse, inclusive. "A única atenção que temos que ter é o contato de outro fluído, o sangue, então você tem uma chance maior de doenças sexualmente transmissíveis", alerta.

Com quantos anos pode transar?

Não existe uma idade correta. Na lei, a idade aceita é de 14 anos, mas é uma condição muito particular. Marcela indica que o ideal é esperar a maturidade do corpo, que acontece por volta dos 16 anos. "Sexo incumbe responsabilidade, então temos que arcar com as consequências físicas, emocionais", complementa.

Tem problema transar com Covid-19?

Sim. Além da alta chance de transmissão, existem estudos que indicam que o ato sexual pode passar o coronavírus. Agora, se o casal testou positivo e não possuí nenhum sintoma agravante, especialmente respiratório, pode aproveitar a quarentena.

Transar grávida afeta o bebê?

Não. Apesar de ser uma preocupação frequente, a criança está na barriga da mãe, protegida pela bolsa de líquido amniótico. Não existe forma alguma do pênis ou qualquer fluído entrar em contato com o embrião. "O sexo na gravidez só não é recomendado para mulheres que possuem algum tipo de agravante, como possibilidade de parto prematuro", fala.

Pode transar com candidíase?

Não. Apesar de não ser considerada uma DST e também ser de difícil transmissão, a candidíase indica um processo inflamatório na vagina. Para um melhor tratamento, o ideal é esperar a recuperação total antes de transar novamente.

Só consigo transar de meia. Será que é algum problema?

Não. Apesar de não ser esteticamente muito legal, Marcela conta que existem estudo que relacionam facilidade no orgasmo à temperatura dos pés. O problema vai ser para o seu parceiro (a) mesmo.

Transar muito faz mal?

Só se for uma compulsão. A especialista explica que o que define o vício é quando o ato sexual começa a interferir em sua vida pessoal e profissional. "Se você deixa de trabalhar para procurar sexo, ou isso interfere no seu desempenho, ou então você procura sexo a qualquer custo, sem levar em consideração certos riscos, é necessário ir atrás de tratamento", fala.

Quanto tempo é normal ficar sem sexo?

Não existe. A sexualidade é algo pessoal, então fica a seu critério definir se você quer transar muito, pouco ou até mesmo nada. Só é uma questão se existe uma situação onde você perde a libido ou a frequência (ou falta dela) estão incomodando. Neste caso, vale investigar a causa.