Manu Gavassi critica abordagem em entrevista: "Reduzida a aparência"

Manu Gavassi em
Manu Gavassi em "Maldivas": atriz e cantora é uma das estrelas da nova produção brasileira da Netflix (Foto: Divulgação/Netflix)

Manu Gavassi foi capa da revista Ela, do jornal O Globo deste domingo (24), e desabafou nas redes sociais após sentir que a abordagem dada pela revista teria a reduzido à sua aparência. A cantora estreou a sua nova turnê, "Eu Só Queria Ser Normal", na última sexta-feira (22), em Natal, no Rio Grande do Norte, após três anos longe dos palcos.

"Quando li a minha manchete de capa no caderno Ela (uma das maiores revistas femininas do Brasil), senti um incômodo, mas me perguntei se eu não estava sendo muito reativa ou exagerando. Conversei muito abertamente com a repórter (uma mulher inteligente e sensível) sobre como tinha ficado chateada de uma notícia a respeito do meu corpo ter ofuscado o lançamento de um trabalho gigantesco", começou. Na conversa, Manu também falou sobre ter retirado um implante de silicone colocado aos 24 anos por não se sentir bem com a prótese.

"Ela partilhou da mesma frustração. Mas não foi exatamente o que fizeram de novo comigo aqui?", continou. "Daí fiz um exercício, coloquei nome de atores e cantores homens com mais ou menos a minha idade e fui ver a capa deles. NENHUMA os reduzia à aparência. Alguma cirurgia? Botox? Mudança de cabelo? Nenhuma citava isso a respeito deles. Apenas suas grandes conquistas profissionais."

Manu ainda disse que, na sequência, fez o mesmo exercício com outras mulheres e o resultado foi bastante diferente do anterior e muito mais similar ao seu próprio caso: "Daí eu lembrei que estou em turnê pelo Brasil, uma turnê lindíssima e esgotada, diga-se de passagem. (...) Estou como uma das protagonistas no maior investimento da Netflix no Brasil [a série "Maldivas"] e mais diversas outras coisas legais", continuou.

Apesar da indiferença sobre a abordagem, a cantora disse que não queria ficar calada sobre a situação: "Tô pra fazer trinta anos daqui a pouco e tô com zero paciência pra continuarmos sendo reduzida à nossa aparência e não à nossa carreira. (...) Que nossas repórteres mulheres sejam mais responsáveis com suas irmãs artistas (os homens nem se fala)", pediu.

"Que no futuro eu seja uma velhinha com uma carreira construída e veja uma artista mais nova, que me lembrará muito eu com a manchete: 'mais uma pra nossa lista gigantesca de mulheres brasileiras e criativas: fulaninha brilha em nova turnê pelo Brasil com concepção artística criada por ela, enquanto comemora o sucesso de sua última personagem e se desdobra pra dar conta de todos novos projetos. O céu é o limite!' Daí vou respirar aliviada", concluiu.