Manoel Soares destaca espaço conquistado na mídia como homem negro: ‘Não é pouca coisa’

No ar de segunda a sexta-feira nas manhãs da maior emissora de TV aberta do Brasil, Manoel Soares hoje ocupa um espaço nunca antes ocupado por cidadãos como ele. O jornalista e escritor é coapresentador do "Encontro", programa que mescla informação e entretenimento (infotenimento) e, entre outras coisas, se dedica a ser uma voz representativa na luta contra o racismo.

"Eu sou o primeiro homem negro, oriundo de favela, a estar à frente de um programa contínuo, matutino, falando com aproximadamente 40 milhões de pessoas. Isso não é pouca coisa", ressalta ao falar da própria trajetória com o Yahoo Entrevista.

Natural de Salvador, na Bahia, Manoel viveu muitos anos em Porto Alegre, onde enfrentou dificuldades até iniciar sua trajetória na RBS TV, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul. De lá para cá, foram muitas reportagens em programas da emissora como o "É de Casa" e o próprio "Encontro" até se firmar como apresentador.

Apesar dos feitos, Manoel também lamenta que esse espaço ainda seja ocupado por poucos. "Óbvio que dentro desse desenho existe também [o fato de] que a dignidade no corpo que eu habito não é algo comum de ser visto. A dignidade no corpo preto muitas vezes é lida como arrogância", aponta ao lembrar de um episódio em que foi taxado como "pouco humilde" por sentar no banco de trás de um carro, e não à frente, ao lado do motorista. Ele conta que o comentário lhe despertou muita reflexão.

Ao longo da entrevista ao Yahoo, Manoel falou ainda sobre família, paternidade e o trabalho no “Encontro”.