Mano Brown, Emicida, Rael, Karol Conká e Xênia França fazem show pré-Rock in Rio

AMOM BORGES
***FOTO DE ARQUIVO*** BELO HORIZONTE, MG, 01.09.2019 - Festival Sarara, Esplanada Mineirão - Show Djonga convida o cantor Mano Brown durante o Festival Sarara neste sábado (31), na Esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte. - (Foto: Agatha Gameiro/FramePhoto/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Rock in Rio está chegando. O festival carioca, que começa na sexta (27), teve uma noite de aquecimento em São Paulo com alguns dos artistas desta edição. Mano Brown, Emicida, Rael, Karol Conká e Xênia França fizeram juntos um show neste sábado (21) em um espaço no bairro da Mooca, zona leste da capital paulista.

A apresentação é parte da campanha de uma das principais patrocinadoras do Rock in Rio, a Heineken. A marca de cerveja investe 30% de seu orçamento anual de marketing no evento, do qual é parceira desde 2011, conta Vanessa Brandão, diretora de marketing da cerveja no Brasil.

“A grande sacada da campanha é que o rock não é só estilo musical. O rock é uma atitude e que está presente em tudo o que o festival faz, inovações musicais”, diz sobre a ação.

Guiado por esse briefing é que Zé Ricardo, diretor artístico do palco Sunset do Rock in Rio, fez a escolha dos artistas. O profissional foi o responsável por coordená-los nos ensaios e na apresentação para os cerca de 300 convidados pela marca.

“Isso é muito prazeroso, trabalhar com essas feras. É muito talento reunido”, afirma Zé Ricardo. Ele conta que propõe o repertório, mas não impõe. “Gosto de ouvir as sugestões e que eles se sintam à vontade para cantarem o que quiserem.”

Acompanhados por uma banda e pelo próprio Zé Ricardo no palco, o quinteto cantou para iniciar os trabalhos uma versão de “Hoje É Dia de Festa”, composição de Jorge Ben Jor e já entoada por Elza Soares. No fim, veio Tim Maia com “Rational Culture” e os versos “We are gonna rule the world/Don’t you know, don’t you know”.

Durante uma hora e meia de show, um sobe e desce do palco foi constante. Todos cantaram com todos. Rael começou recebendo Emicida para “O Hip Hop É Foda”. Pouco depois recebeu Xênia França para cantar “Envolvidão”. A baiana se manteve no palco e entoou com o Rael “Respeitem Meus Cabelos”.

Depois de uma sequência de Xênia veio a parte de Mano Brown que, para começar, mandou “Vida Loka (parte 1)” com Emicida e Rael. Brown ainda cantou algumas faixas como “Mulher Elétrica” e “Baile Black”.

Por falar em baile black, o fato de terem selecionado apenas artistas negros não foi proposital, diz Vanessa Brandão. “Foi uma bela coincidência. A gente sempre fala que no mundo de Heineken não há diferenças.”

“São artistas que tinham a atitude rock dentro de si. São artistas que quebraram muitas barreiras para chegarem aonde estão”, completa.