Mandetta diz que governo federal queria mudar bula da cloroquina

·2 minuto de leitura
El ministro de salud de Brasil Luiz Henrique Mandetta, derecha, le coloca desinfectante en las manos al presidente Jair Bolsonaro durante una conferencia de prensa en el Palacio Presidencial de Planalto en Brasilia, el 18 de marzo del 2020. (AP Foto/Andre Borges)
Luiz Henrique Mandetta não quis mudar o protocolo de uso da cloroquina (Foto: AP Foto/Andre Borges)

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que a ideia do governo federal era mudar a bula da cloroquina e incluir que o medicamento era recomendado para o tratamento da Covid-19. A declaração foi dada em entrevista à GloboNews na última quarta-feira.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Mandetta relatou que, mesmo quando estava no comando da pasta, o presidente Jair Bolsonaro se assessorava de outros profissionais médicos.

“Me lembro de quando, no final de um dia de reunião de conselho ministerial, me pediram para entrar em uma sala e estavam lá um médio anestesista e uma média imunologista (...). E a ideia que eles tinham era de alterar a bula do medicamento na Anvisa, colocando na bula indicação para Covid-19”, afirmou.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Sobre o novo protocolo, que foi alterado pelo ministro interino, o general Eduardo Pazzuello, Mandetta afirmou que é “distante do razoável”. A mudança na orientação de uso da cloroquina consiste principalmente no uso do medicamento na fase inicial da doença.

Leia também

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Com Mandetta e Nelson Teich, o remédio era recomendado só em casos mais graves da Covid-19. Não há qualquer comprovação científica de que a cloroquina seja eficaz no tratamento da doença causada pelo coronavírus