‘Malhação: Pro Dia Nascer Feliz’ chega ao fim com boa audiência

Jeferson de Sousa - Tela Plena

Final de ‘Malhação’ teve casamento duplo (Foto: Divulgação/Globo/João Miguel Júnior)

Nesta quarta-feira chegou ao fim mais uma temporada de ‘Malhação’. Com ‘Pro Dia Nascer Feliz’ a novela adolescente completou 22 anos e 24 temporadas – haja fôlego e imaginação para manter o pique. Não foi a mais marcante das temporadas, diga-se, mas está longe dos piores momentos do folheteen (e tiveram muitos).

Entre os méritos coloque-se o fato de a novela investir em sua primeira protagonista negra (Aline Dias) – alguns podem considerar isso algo banal, mas ajudar a romper preconceitos tem sido uma das missões de ‘Malhação’ nos últimos anos; afinal, a trama atinge em cheio um público em fase de formação cultural. Não à toa a próxima temporada terá como tema as diferenças.

Os destaques, entretanto, ficam para os personagens secundários (alguns nem tão secundários assim). Marcos Pasquim e Deborah Secco, por exemplo, trouxeram uma pitada de mais adulta para o enredo. Aliás, outro mérito de ‘Pro Dia Nascer Feliz’ foi trazer um pouco mais de “maturidade” à narrativa. E Thiago Fragoso também teve seus momentos ao assumir o papel de vilão.

‘Pro Dia Nascer Feliz’ também tem a virtude de ter conseguido a melhor audiência da série desde 2010: uma média acima de 18 pontos. No geral, porém, faltou aquela química do casal badalado – tão caro aos espectadores de ‘Malhação’ – e um tema que mobilizasse a discussão dos espectadores. O fato é que não foram poucos os momentos em que ‘Pro Dia Nascer Feliz’ parecia só uma crônica do way of life carioca – mas nisso a temporada que se encerra não está sozinha.

Veja também:

Entenda quem é quem na nova ‘Malhação – Viva a Diferença’

Cercada de famosos, Sônia Abrão comemora 11 anos de seu programa

Segunda-feira teremos a estreia da 25ª. temporada sob o subtítulo ‘Viva a Diferença’. A nova versão chega cercada de expectativa e com muita torcida para que seja uma história empolgante e acima da média. Não é pedir demais.