Mais de um milhão de pessoas encantadas com o desfile festivo do Dia dos Mortos do México

Mais de um milhão de mexicanos e estrangeiros, muitos deles fantasiados e maquiados de caveiras, curtiram no sábado o desfile do Dia dos Mortos na Cidade do México, um costume festivo ancestral que homenageia os mortos, informou o governo local.

Dançarinos vestidos de mariachis, borboletas monarcas - símbolos representativos do México - e com os rostos maquiados como esqueletos, entre outros, compuseram o desfile que inundou as principais ruas da capital mexicana.

"O que eu amo é a engenhosidade dos estilistas nos figurinos de cada um dos que representam o desfile (...) as borboletas monarcas, eu amo todas as fantasias, disse à AFP Javier Alemán, empresário de 36 anos .

O governo da Cidade do México informou que "mais de um milhão de pessoas" estavam ao longo do caminho dos continentes que começavam do Bosque de Chapultepec ao Zócalo, a principal praça do país latino-americano.

Eufóricos, os espectadores aplaudiram especialmente a passagem de demônios e caveiras, chamadas "catrinas", que emulam senhoras da alta sociedade mexicana do final do século XIX.

O desfile é um prelúdio do Dia dos Mortos, que se celebra nos dias 1º e 2 de novembro com uma série de rituais com raízes pré-hispânicas.

Na intimidade dos lares em todos os cantos do país, erguem-se altares com fotos de seus mortos e seus pratos e bebidas preferidos, também decorados com pétalas da flor cempasúchil, que, segundo a lenda, ilumina o caminho da morte com sua brilhante cor amarela para as almas do submundo.

Ao contrário desses rituais, o desfile realizado neste sábado surgiu após as filmagens na Cidade do México do filme "Spectre", da saga de agentes de James Bond em 2015, onde esse evento foi encenado.

A ascensão do filme levou o gabinete do prefeito a replicá-lo todos os anos desde 2016.

jg/me/aa