Mais de 80% dos trabalhadores estão esgotados, mostra pesquisa; mulheres são mais afetadas

Pelo menos 3 mil pessoas foram entrevistadas no projeto da Pulses. (Foto: Getty Creative)
Pelo menos 3 mil pessoas foram entrevistadas no projeto da Pulses. (Foto: Getty Creative)

Você está se sentindo sem disposição para trabalhar ou sente que precisa provar seu valor no emprego? Uma pesquisa feita pela Pulses, plataforma de gestão de pessoas, mostra que 81% dos trabalhadores estão se sentindo dessa maneira.

  • 60% dos colaboradores relatam estar se sentindo sem disposição para trabalhar;

  • 67% sentem que precisam provar seu valor no emprego.

O levantamento também mostrou que as mulheres são mais afetadas em comparação com os homens. Quando o assunto é esgotamento, 85% relataram um cansaço extremo, contra 75% de homens. As informações são do portal G1.

Pesquisa feita com 3 mil pessoas

Pelo menos 3 mil pessoas foram entrevistadas no projeto da Pulses. A ideia era abordar diferentes portes e segmentos, com o objetivo de acompanhar o estado emocional dos trabalhadores brasileiros.

Os colaboradores responderam perguntas sobre condições e organização do trabalho. Dessa forma, mais da metade dos colaboradores relataram estar se sentindo frustrados com o trabalho (54%), com dificuldades para cumprir suas atividades (51%) e sem paciência com outros membros da equipe (51%).

6 sinais

Um estudo da International Stress Management Association (ISMA-BR) mostrou que estresse no trabalho é um problema que atinge 69% dos brasileiros.

É preciso ficar atento aos sinais, como lista um outro estudo da Pulses:

  • falta de concentração;

  • queixas sobre cansaço ou dores recorrentes (de cabeça e musculares, principalmente);

  • irritabilidade;

  • pessimismo;

  • redução da criatividade;

  • faltas recorrentes;

  • queda da produtividade;

  • desinteresse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos