Mãe de garoto com síndrome de Down faz apelo para médicos mudarem vocabulário

Reprodução/Facebook Don’t Be Sorry

Quem tem um filho com síndrome de Down sabe o quanto eles são pessoas encantadoras e que transformam suas famílias. Mas durante a gravidez, a maneira como os médicos notificam a condição genética do bebê para as mães está precisando ser mudada.

Quem pede isso é Sarah Roberts, inglesa mãe de Oscar, um garotinho com a síndrome. Ela criou um blog para falar sobre a experiência em ser mãe de uma criança Down e, cansada da linguagem dos médicos, ela usou o Facebook para desabafar.

Ela diz que é comum os doutores usarem a palavra “risco” quando se referem às chances da criança possuir a condição. Isso geralmente acontece por volta da 12ª semana de gestação, quando a mãe é submetida a um exame de sangue que calcula o “risco” em se desenvolver a síndrome.

É exatamente o uso dessa palavra que Sarah espera ser mudada no ambiente hospitalar. “Se você buscar a palavra risco no dicionário, ele diz que é ‘uma situação envolvendo exposição ao perigo’. Ter o Oscar nunca expôs a mim nem aos outros a nenhum perigo, muito pelo contrário. Então eu e outros muitos pais de crianças com a síndrome achamos que ‘chance’ seria um uso muito melhor da linguagem”.

Reprodução/Instagram @dontbesorry2

O post traz uma imagem do pequeno Oscar aos 11 meses de idade e já conta com 20 mil reações e mais de 5 mil compartilhamentos. O mais importante foi que seu ponto de vista gerou uma discussão que chegou aos ouvidos de vários profissionais da medicina. “Eu sou médico e nunca havia pensado nisso antes. Eu agora usarei a palavra chance depois de ler isso. Obrigado”, disse um dos comentários.