Mãe com extrema 'fobia alimentar' vive sanduíches há quase 30 anos

April Griffiths, 29 anos, vive de uma dieta de sanduíches de queijo. (SWNS)

Uma mãe com dois filhos tem "medo de comer" e revelou que vive de sanduíches de queijo há quase 30 anos. April Griffiths, 29 anos, tem uma grave fobia alimentar e experimenta intensa ansiedade, mesmo ao pensar em comer algo que não seja um sanduíche de queijo.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Na tentativa de superar sua fobia na hora das refeições, a mãe gastou uma fortuna em sessões de hipnoterapia, mas nada foi capaz de curá-la da obsessão.

Leia também

April, de Nuneaton, Warwickshire, disse: "Toda vez que tento experimentar coisas novas, tenho um ataque de pânico, o meu corpo todo começa a tremer e fico terrivelmente nervosa.”

"O medo de engasgar e experimentar uma textura diferente de comida me assusta e mesmo que eu tenha tentado comer porções de arroz, macarrão ou legumes do tamanho de uma ervilha, nunca consegui engolir sem vomitar".

Ela disse que acha muito estranho sair para comer com pessoas novas, porque tem que explicar o motivo pelo qual ela pede um sanduíche de queijo.

April Griffiths, 29, tem uma fobia alimentar que provavelmente se desenvolveu quando era pequena. (SWNS)

A fobia também afetou seus relacionamentos.

"Quando conheci meu parceiro há nove anos, Leigh Kendall, 34 anos, tive que avisá-lo sobre minha fobia alimentar para me poupar do constrangimento em nosso primeiro encontro", disse ela.

Embora Kendall tenha tentado incentivar April a experimentar novos alimentos, ela nunca conseguiu. Agora, ela se resignou à possibilidade de que essa seja a dieta pelo resto de sua vida.

April, seu parceiro Leigh e seus dois filhos [Foto: Caters]

"Estou entediada com sanduíches de queijo, mas mesmo com anos de aconselhamento, sou incapaz de superar minha fobia", disse ela.

Até a maneira como o queijo é preparado tem um impacto na possibilidade de April poder comer ou não.

"Às vezes, como uma torrada de queijo para dar uma mudada, mas preciso comer quando o queijo está quente, porque começo a engasgar quando esfria e a textura muda", disse ela.

“Parece bobagem, mas se eu comer queijo fatiado, tenho que evitar pensar nisso, porque a textura é completamente diferente do meu sanduíche de queijo ralado de costume.”

"Mas não sofro um ataque de pânico porque sei que ainda é queijo, e posso comer torradas porque sei que o pão é seguro para comer".

Ela disse que sonha em comer certos alimentos, como algo assado, mas o pensamento de comer legumes, batatas e carne, a deixa enjoada.

"A única outra coisa que consigo comer são batatas fritas, e essa é a única comida que anima o meu paladar, então eu sempre escolho um pacote de batata com sabores variados", disse ela.

"Eu costumo comer batatas fritas de queijo e cebola ou de camarão, e como Pringles de nata em ocasiões especiais."

April teme que ela possa passar sua fobia alimentar para seus filhos [Foto: Caters]

April, mãe de Charlie, dois anos, e Daisy, de oito meses, tem o cuidado para não transmitir sua fobia alimentar aos filhos.

Ela diz que está ficando difícil alimentar o bebê quando ele percebe que ela não está comendo da mesma forma, então come depois dele, em outro cômodo, para garantir que ele não desenvolva os mesmos hábitos alimentares.

Ela diz que sua fobia alimentar provavelmente se desenvolveu quando ela era pequena.

"Quando eu era bebê, e passando do leite para os alimentos sólidos, meus pais ficaram extremamente preocupados porque eu comia e vomitava imediatamente", disse ela.

"Muitas pessoas dizem que meus pais não foram rígidos o suficiente, mas esse não é o caso. Tenho realmente medo de comida e sempre tive."

“Eles passaram muitas noites chorando e se estressando com isso. Eles me levaram ao nosso médico de família, mas não havia nada de errado e ainda não há - fui informada pelos médicos de que sou saudável.”

Embora receba aconselhamento desde criança, April disse que não deu certo e a única vez que chegou perto de ser "curada" foi após a hipnoterapia.

"Passei por duas sessões e consegui comer arroz alguns meses depois, o que foi um grande passo para mim, fiquei muito orgulhosa", disse ela.

Mas, a R$1.500 cada sessão, ela não pôde continuar, o que significa que ficou sem opção e voltou à dieta anterior.

A vendedora on-line agora espera que algo semelhante seja disponibilizado pelo Serviço Público de Saúde.

Por enquanto, ela tem que se contentar com os alimentos que gosta de comer, além de três caixas de suco de laranja por dia para obter vitaminas essenciais.

O que é uma fobia alimentar?

Segundo o site Mind, um problema alimentar é qualquer relação com a comida que você achar difícil.

No meio de uma lista de opções da maneira pela qual a alimentação pode afetar a vida das pessoas, o site explica que é possível sentir-se fortemente repugnado com a ideia de comer certos alimentos e ter medo de comer outros tipos.

Muitas vezes, uma fobia alimentar é confundida com um distúrbio alimentar, mas o site Mind diz que há uma diferença.

"Um distúrbio alimentar é um diagnóstico médico baseado em seus padrões alimentares e exames médicos sobre seu peso, sangue e índice de massa corporal", diz o site.

“Um problema alimentar é qualquer relação com a comida que você achar difícil. Isso pode ser tão difícil de lidar como um distúrbio alimentar diagnosticado.”

O Instituto de Cuidado da Ansiedade do Reino Unido diz que existem dois tipos distintos de fobia alimentar. Uma é a incapacidade de engolir por medo de engasgar, o que pode levar à rejeição da maioria dos alimentos sólidos.

O outro tipo é mais uma aversão alimentar, onde certas texturas ou odores causam sentimentos de enjoos ou até vômito.

Se o seu relacionamento com a comida e a alimentação está afetando sua vida, o Mind sugere que você visite seu médico, que poderá encaminhá-lo para receber uma ajuda mais especializada.

Marie Claire Dorking