Mad Max: A Estrada da Fúria: as tretas e curiosidades por trás de um clássico

Rafael Monteiro
·6 minuto de leitura
Tom Hardy e Charlize Theron em Mad Max: A Estrada da Fúria (reprodução)
Tom Hardy e Charlize Theron em Mad Max: A Estrada da Fúria (reprodução)

Mad Max: A Estrada da Fúria estreou em 14 de maio de 2015. Vencedor de seis estatuetas do Oscar (edição, mixagem de som, edição de som, direção de arte, figurino e maquiagem), o filme tem conseguido um grande feito, talvez o mais reconhecido e repetido pelos críticos de cinema: "envelhecer bem". Cinco anos depois, o longa dirigido por George Miller parece ainda mais importante do que na época do seu lançamento.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Isso se deve a muitos fatores. O principal deles é a qualidade da obra: visto hoje, o filme ainda parece grandioso e exuberante, sem soar exagerado. Como fruto de uma era de blockbusters realistas, liderada por Christopher Nolan, Miller recusou efeitos especiais e apostou em dublês, pilotos (e guitarras com chamas de fogo?) no deserto, criando o seu próprio inferno particular.

Leia também

Além disso, ainda trouxe a questão de gênero em um tom até hoje bastante elogiado. Ao mostrar mulheres como escravas sexuais e apresentar uma das maiores heroínas da história do cinema, a Furiosa, o filme conseguiu dar gravidade às reclamações de vítimas da violência e protagonismo às mulheres em cenas brutais de ações, sem soar panfletário em nenhum momento.

Aliás, "inferno" é uma palavra boa para descrever o que foram as filmagens do longa. Em um especial de aniversário do filme publicado pelo New York Times, o diretor e o elenco se reuniram e revelaram bastidores de uma obra criada para fazer história - mas não sem sacrifício de todos os envolvidos. A impressão que fica é que Mad Mad: A Estrada da Fúria não seria uma representação tão rica do caos sem ritos de produção tão perturbadores.

Mel Gibson: cancelado e “velho demais”

HOLLYWOOD, CA - MAY 07: (L-R) Actor Mel Gibson, director George Miller and actor Tom Hardy arrive at the "Mad Max: Fury Road" Los Angeles Premiere at TCL Chinese Theatre IMAX on May 7, 2015 in Hollywood, California.(Photo by Jeffrey Mayer/WireImage)
Mel Gibson, George Miller e Tom Hardy divulgando Mad Max: A Estrada da Fúria (Photo by Jeffrey Mayer/WireImage)

A ideia de George Miller era reviver a sua parceria com Mel Gibson, vista nos três primeiros filmes da saga, Mad Max (1979), Mad Max 2 - A Caçada Continua (1981), Mad Max - Além da Cúpula do Trovão (1985). Dois problemas, no entanto, impediram que o plano fosse concretizado: o astro já tinha passado dos 50 anos quando a Estrada da Fúria começou a ser idealizado, perdendo a vitalidade de outrora; além disso, o ator tinha virado uma "pária" em Hollywood após inúmeras pisadas na bola, como fazer discursos antissemíticos, agredir ex-namoradas e dirigir alcoolizado. Por isso, Miller e a equipe decidiram procurar um outro ator para viver Max. “Mel está obviamente magoado com várias coisas que todo mundo conhece, mesmo sendo um cineasta altamente talentoso, um ator brilhante e um cara adorável por trás desse demônio que às vezes aparece. Mas ele era velho demais naquele momento.” Simplesmente não fazia sentido”, explicou o produtor Doug Mitchell, com muita sinceridade.

Uma Thurman e Jeremy Renner?

Jeremy Renner como Max e Uma Thurman como Furiosa. Bem, quase aconteceu. “Fiz um teste de química com Jeremy Renner lendo para Max, porque eles ainda não haviam contratado Tom Hardy”, revelou Zoë Kravitz, a Toast no longa. “Havia vários nomes jogados para a protagonista feminina quando começamos. Uma Thurman inclusive”, acrescentou Mitchell.

Nove meses na Namíbia, sem saber direito o que fazer

Com Tom Hardy e Charlize Theron confirmados no elenco, todos os envolvidos ficaram confinados no deserto da Namíbia por cerca de nove meses. Os atores não sabiam muito sobre o roteiro do filme e precisavam filmar todas as cenas rapidamente, no ritmo urgente que Miller pedia. "Eu estava muito assustada, porque nunca havia feito algo assim. Acho que o mais difícil para mim era que George tinha o filme todo na cabeça dele, e eu estava desesperada para entendê-lo", admitiu Theron.

Base feminista

Miller contratou Eve Ensler, autora da peça teatral "The Vagina Monologues", para falar com o elenco sobre o seu trabalho com vítimas congoleses de violência de gênero. O workshop emocionou principalmente as atrizes que transmitiram a gravidade do tema para a trama. "Eu cresci em uma família de classe média no Reino Unido e tive uma infância muito agradável. Foi um grande choque entrar em contato com essa realidade", admitiu a atriz e modelo Rosie Huntington Whiteley, que viveu Esplendida Angharad na trama.

Tom Hardy x Charlize Theron

South African-US actress Charlize Theron (L), Australian director George Miller (C) and US actor Tom Hardy leave the Festival palace after the the screening of the film "Mad Max : Fury Road" during the 68th Cannes Film Festival in Cannes, southeastern France, on May 14, 2015.   AFP PHOTO / ANNE-CHRISTINE POUJOULAT        (Photo credit should read ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP via Getty Images)
Charlize Theron, George Miller e Tom Hardy no Festival de Cannes, em 2005 (AFP PHOTO / ANNE-CHRISTINE POUJOULAT (Photo credit should read ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP via Getty Images)

Os dois astros do filme sentiram a pressão do projeto. Theron e Hardy tiveram discussões ríspidas em diversos momentos, vistas hoje como desnecessárias por ambos. “Em retrospecto, eu não tinha empatia suficiente para entender realmente como deve ter sido para ele ocupar o lugar de Mel Gibson”, explicou Theron. “Isso é assustador! E acho que, por causa do meu próprio medo, estávamos erguendo barreiras para nos proteger em vez de dizer um para o outro: ‘Isso é assustador para você e também para mim. Vamos ser gentis um com o outro. . ‘ De uma maneira estranha, estávamos funcionando como nossos personagens: tudo era sobre sobrevivência.”. Hardy concordou, tirando sarro de si mesmo: "O que ela precisava era de um parceiro melhor, talvez mais experiente. Isso é algo que não pode ser desmentido. Gostaria de pensar que agora, que sou mais velho e mais feio, eu poderia ser mais apropriado.”

Todos contra Miller

CANNES, FRANCE - MAY 14: Zoe Kravitz, Charlize Theron, Tom Hardy at the 'Mad Max : Fury Road' Premiere during the 68th annual Cannes Film Festival on May 14, 2015 in Cannes, France.  PHOTOGRAPH BY John Rasimus / Barcroft Media (Photo credit should read John Rasimus / Barcroft Media via Getty Images)
Zoe Kravitz, Charlize Theron e Tom Hardy (Photo credit should read John Rasimus / Barcroft Media via Getty Images)

O clima pesado acabou afetando a relação do veterano George Miller com todo o elenco. "Tom teve muitos momentos de frustração. Charlize também, mas acho que ele foi quem mais descontou em George, o que foi chato de ver. Mas de certa forma, você também não pode culpá-lo, porque muito estava sendo exigido desses atores e tinha muitas questões não-respondidas", comentou Zoe Kravitz.

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.