Médico diz que liberação de remédios à base de maconha ajuda pacientes com dores crônicas

Funcionário trabalha na produção de medicamento à base de maconha REUTERS/Luisa Gonzalez
Funcionário trabalha na produção de medicamento à base de maconha REUTERS/Luisa Gonzalez

O acesso extraoficial, via importação, de produtos à base de cannabis para uso medicinal já vinha acontecendo no Brasil, só que de maneira demorada e cara, com custos médios de R$ 2 mil ao mês. “Agora, com a liberação da Anvisa, a compra poderá ser feita em farmácias brasileiras, permitindo que mais gente tenha acesso e a custos bem menores”, explica Marcus Pai, médico fisiatra e especialista em dor do Grupo de Dor do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Nesta terça-feira (2), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou o veto ao plantio de maconha, mas autorizou a venda de remédio à base do produto no Brasil. Os produtos liberados pela Anvisa poderão ser para uso oral, em comprimido; nasal, em versão líquida; ou em solução oleosa.

Leia também

O médico Marcus Pai lembra que será preciso ter prescrição médica especial, já que uma via da receita ficará retida na drogaria. “Vale lembrar que, pelo menos por enquanto, farmácias de manipulação não têm permissão para manipular o ativo”, esclarece o médico que lista outras informações importantes sobre esses produtos à base de cannabis para uso medicinal:

Alívio para dores crônicas

Estudos mostram que eles são úteis como tratamento de segunda linha, ou seja, como cuidado complementar para quem já toma medicação, inclusive em doses altas e por período prolongado, e mesmo assim não tem alívio da dor crônica.

Alternativa a cirurgias

Seu uso também poderá ser feito por pacientes que querem tentar adiar ou até mesmo descartar a cirurgia para controlar a dor crônica e incapacitante provocada por uma hérnia de disco ou problemas na coluna, por exemplo.

Fisioterapia e reabilitação

Apesar de não serem usados como tratamentos principais ou isolados, esses produtos à base de cannabis permitem avançar na fisioterapia, trazendo alívio e favorecendo a recuperação e reabilitação nos mais variados casos de dor crônica, como as geradas por fibromialgia.

“A solução oleosa tem excelente absorção pela pele, ele pode ser aplicada numa única e pequena parte do corpo, como a nunca, mesmo que ela não esteja diretamente ligada à dor e esteja longe da região dolorida. Isso permite que o paciente tenha independência na hora de se cuidar”, destaca Pai, que também possui especialização médica em acupuntura e em medicina esportiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos