MAC-USP recebe terceira doação mais importante da história do museu

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 28-01-2012: Sede do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP). (Foto: Robson Ventura/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 28-01-2012: Sede do Museu de Arte Contemporânea da USP (MAC-USP). (Foto: Robson Ventura/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Museu de Arte Contemporânea da USP, o MAC-USP, agora tem como parte do seu acervo a Coleção Fulvia e Adolpho Leirner do Art Déco Brasileiro, com obras doadas pelos colecionadores no final de 2020.

Essa é a terceira doação mais importante da insituição, atrás da coleções de Ciccillo Matarazzo e da doação que deu origem ao MAC-USP.

Segundo o museu, as negociações da doação duraram oito anos e surgiram a partir de uma proposta de comodato, em 2013.

A coleção, que reúne 45 peças, tem entre as obras tapeçarias e mobiliários da família Gomide-Graz, como 'Índios', feito na década de 1930 pela artista Regina Gomide Graz.

Alguns desses trabalhos, inclusive, estão em exposição no Museu de Arte Moderna de São Paulo, o MAM. A mostra "Desafios da Modernidade - Família Gomide-Graz nas Décadas de 1920 e 1930" retoma a produção de Regina, Antonio Gomide e John Graz, com cerca de 80 trabalhos da família que acabou ditando tendências de estilo no país.

Na mostra, há também montagens de salas inteiras e um documentário com ambientes feitos na época que dão o tom da burguesia paulistana já da década de 1930.

Fazem parte ainda da coleção doada ao MAC cadeiras produzidas por Flávio de Carvalho e o mobiliário que Gregori Warchavchik fez para a Casa Modernista, em 1930.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos