Músicos canalizam o patriotismo e a raiva na Ucrânia

A mensagem por trás da última música de Arsen Mirzoyan é simples: fique na Ucrânia e lute. "Não tenho mais medo, não existo mais sem você e se este é meu país, então é meu", diz a letra.

Este cantor de rock ucraniano escreveu a música quando estava no front em Kiev, nos primeiros dias da invasão russa.

"Queria fortalecer os sentimentos daqueles que hesitavam entre ficar e fugir. Queria apoiar aqueles que decidiram ficar em Kiev", disse à AFP, mostrando fotos de cadáveres, equipamentos russos destruídos e shows improvisados em seu celular.

Depois de quase 100 dias de guerra e desde o início do conflito, os músicos do país se propuseram a canalizar a raiva e o impulso patriótico da população em hinos comoventes.

A música desempenha um papel importante na luta contra o exército russo. Variam de uma ode a drones fabricados na Turquia a misturas de batidas populares do TikTok sobre tanques destruídos.

E músicos de estilos muito diferentes contribuem para o fenômeno: do black metal ao grupo Kalush Orchestra, que venceu o festival de música Eurovision.

"A vitória é muito importante para a Ucrânia", disse o líder da Kalush Orchestra, Oleg Psiuk, a repórteres após a competição.

- "Coragem para a vitória" -

Outros músicos largaram seus instrumentos para pegar em armas, incluindo membros do grupo de rock Antytila, que retornaram brevemente a Kiev em maio para tocar uma versão de "Stand by Me" com Bono e The Edge do grupo irlandês U2 no metrô da capital ucraniana.

Nas ondas de rádio, agora agora canções patrióticas que falam da bravura dos defensores do país e da brutalidade da guerra.

"Entendemos que se trata de uma guerra longa e que precisamos de forças", explica Julia Vinnychenko, diretora de programação da rádio NRJ em Kiev. O lema da estação mudou. "Coragem para a vitória", reza agora.

"Todas as músicas estão relacionadas à guerra de uma forma ou de outra. Retratam diferentes humores, melancolia, tristeza, sofrimento, desejo de vitória", explica a DJ Yana Manuilova sobre as músicas que ela escolhe para o programa da manhã.

"Estou muito impressionada com a rapidez com que os artistas ucranianos reagiram criativamente à guerra", acrescenta.

- Hinos de guerra -

"Acho que o panorama mudou", diz Danylo Khomutovsky, cofundador da rádio Aristocrats em Kiev.

Antes, a maioria dos artistas evitava lidar com questões políticas. Mas agora, ele explica, começam a conversar sobre assuntos mais sérios.

"Eles começaram a agir como se tivessem a responsabilidade de influenciar outras pessoas: centenas, milhares, milhões", acrescenta.

Outros músicos passaram a criar músicas com letras ultra-agressivas elogiando o espírito de luta ucraniano.

Uma das mais famosas é "Dont't fuck with Ukraine" ("Não foda com a Ucrânia"), de Max Barskih.

Muitas canções de guerra também transmitem um sentimento de triunfalismo, apesar do recente progresso militar do exército russo no leste do país.

E mesmo com a destruição, a festa continua para uma parte dos ucranianos.

Durante um show na quarta-feira em Kiev, o grupo Ocheretyanyi Kit tocou em cima de um tanque russo queimado. Uma das músicas dizia respeito aos mísseis "Javelin" fornecidos pelos Estados Unidos.

"Neste momento não podemos cantar canções de amor. Não é importante", justificou o vocalista do grupo, Serguei Tiagnyriadno.

ds/pop/ybl/sag/an/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos