Mário Guedes Peixoto, maestro e compositor de frevo, morre aos 89 anos

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O maestro Mário Guedes Peixoto, um dos grandes nomes da história da música pernambucana, morreu aos 89 anos. Ele lidava com um quadro avançado de diabetes e sofreu um infarto no último domingo (15), quando estava em um hospital no centro de Recife. Guedes Peixoto ganhou fama como regente de bailes e também como um dos importantes compositores de frevo de Pernambuco. Sua primeira gravação, a música "Barbosa Filho no Frevo", foi lançada pelo selo Mocambo, da gravadora local Rozenblit, há 60 anos. Mas grande parte de sua obra no frevo saiu por selos do sudeste, nas décadas seguintes. Nascido em Goiana, na zona da mata pernambucana, Guedes Peixoto começou a tocar trombone ainda criança, tendo participado da banda Saboeira, de sua cidade. Ele estudou no Conservatório Pernambucano de Música antes de montar orquestras e animar os bailes carnavalescos da cidade. Entre os anos 1970 e 1980, esteve à frente da Orquestra Sinfônica do Recife, que homenageou sua obra em uma apresentação no ano passado. O maestro também participou da formação de músicos importantes e, segundo a Fundarpe (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco), incentivou outros maestros, como Edson Rodrigues e Spok. Mário Guedes Peixoto deixa a mulher, três filhos, oito netos e dois bisnetos.