Luta por privacidade de Harry e Meghan no Canadá vai ser ‘10 vezes pior’ do que antes

Um ex-editor da realeza afirma que a mudança de Harry e Meghan para o Canadá piorou a relação do casal com a mídia. (PA Images)

A luta de Príncipe Harry e Meghan Markle para manter suas vidas privadas afastadas dos holofotes se tornou ‘10 vezes mais difícil’ com a mudança do casal para o Canadá, avaliam especialistas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

O Duque e a Duquesa de Sussex estão em Vancouver se preparando para iniciar uma vida financeiramente independente junto com o filho Archie, de oito meses, após deixarem seus deveres reais.

Leia também:

No entanto, poucos dias depois do início da tentativa de montar sua nova vida, o casal emitiu um aviso legal direcionado à mídia canadense após vários veículos terem publicado fotos tiradas por paparazzi mostrando Meghan caminhando com seus cachorros em um parque em Vancouver com Archie.

Harry também foi clicado minutos após seu avião pousar no Canadá na segunda-feira.

O casal também afirma que houve tentativas de tirar fotos da família dentro da sua casa com lentes de longo alcance, e que os paparazzi estão permanentemente acampados do lado de fora da propriedade.

Pelas leis de privacidade de British Columbia, o casal pode abrir um processo se fotos suas forem tiradas em um local público.

Duncan Larcombe, que trabalhou como editor da realeza do The Sun por mais de uma década, disse que a mudança para o Canadá não impedirá que a família seja fotografada – acrescentando que o desgaste do relacionamento com a imprensa está piorando as coisas para eles.

Entre os problemas que os Sussexes criaram, segundo ele, está a saída do sistema “rota real”, que proporcionava uma linha direta com os correspondentes da realeza na imprensa, o que permitia impedir que fotos indesejadas tiradas por paparazzi aparecessem na mídia.

Ele disse ao Yahoo News UK: “Ao queimar estas pontes, toda aquela boa vontade que foi comprada ao longo dos anos – Harry deu uma marretada naqueles acordos dizendo que eles eram perseguidos, que o público britânico é racista. Tudo isso é terrível”.

“Mas agora ele está a milhares de quilômetros de distância do Reino Unido, lidando com fotógrafos que não têm nenhum problema em se esconder atrás de arbustos para tirar uma foto sua, ou fotos de Meghan passeando com Archie”.

Harry, Meghan e Archie. (Henk Kruger/African News Agency via AP, Pool)

“Eles não se importam, e por que deveriam se importar? Para eles, Harry é apenas outro rosto famoso, como Brad Pitt ou George Clooney. O fator realeza não existe”.

“Depois de queimar todas estas pontes com a imprensa que cobre a realeza britânica, quem é que vai olhar uma foto e dizer ‘Será que devemos publicar esta imagem, ou isso vai deixar Harry chateado?’”

“É um relacionamento de mão dupla, que Harry abandonou”.

Diferenças legais

Embora a paisagem exuberante e o clima ameno de British Columbia provavelmente tenham atraído o casal na escolha de sua nova casa, não há como negar que as leis de privacidade da província também são atrativas.

Os advogados de Markle emitiram uma ordem de cessar e desistir para a mídia britânica nesta semana, ameaçando tomar ações legais se as fotos tiradas recentemente em que ela aparece passeando com o filho e seus cachorros em Vancouver fossem publicadas.

Daniel Reid, advogado da Harper Grey, em Vancouver, especializado em leis de privacidade, diz que Markle teria mais facilidade para entrar na justiça na Colúmbia Britânica por questões relacionadas à privacidade do que na maior parte do Canadá. Isso acontece porque, desde 1996, a província aprovou o Privacy Act, que permite que as pessoas abram processos por violação de privacidade.

A lei afirma que qualquer um pode pedir uma reparação por danos se sentir que a sua privacidade está sendo violada de forma injustificada.

O Duque e a Duquesa de Sussex durante o WellChild Awards no Hotel Royal Lancaster, em Londres. (PA Images)

“Só porque alguém é uma pessoa pública ou está em um espaço público não significa que ela não pode ter expectativas de privacidade,” disse ele ao Yahoo Canada. “A questão é: qual é uma expectativa razoável de privacidade nestas circunstâncias?”

O Duque e a Duquesa de Sussex podem ter uma expectativa limitada de privacidade em certas circunstâncias, especialmente se estiverem participando de eventos públicos. No entanto, eles podem sentir que a sua privacidade está sendo violada se os fotógrafos estiverem tirando fotos não autorizadas da família em sua propriedade, ou usando um drone.

“A questão sempre é definir o que é razoável em cada circunstância,” disse Reid.

Ele explicou que o Privacy Act abre uma exceção em alguns casos, como notícias sobre assuntos de interesse público. No entanto, isso não se aplica se o assunto noticiado é descoberto de uma forma de viola a privacidade.

“Vigilância e escutas não autorizadas podem ser violações de privacidade de acordo com o Privacy Act da Colúmbia Britânica,” explica.

A maioria das províncias canadenses não tem uma lei como esta. Em Ontário, por exemplo, é possível entrar com um processo por falta de privacidade, mas isso é feito pelo direito comum, que ainda está se desenvolvendo sobre o significado de ‘falta de privacidade’.

‘Um exercício inútil’

Mark Stephens, advogado especializado em regulação da mídia e direitos humanos da Howard Kennedy, diz que o apelo internacional do casal real vai fazer com que eles sempre sejam alvos dos curiosos.

Mesmo que as fotos tiradas em Vancouver não sejam usadas pela mídia canadense, e se eles conseguirem convencer os jornais britânicos a não publicarem fotos deles em momentos privados, ainda há outros países com uma diversidade de leis relacionadas à privacidade que irão permitir que os fotógrafos e os veículos de mídia lucrem com as imagens.

Mark Stephens disse que combater a imprensa britânica não é a resposta para os problemas de Harry e Meghan. (PA Images)

 

“... Há um mercado muito mais amplo a nível global, então você pode publicar as imagens na Austrália, África do Sul, Nova Zelândia, Índia, outras jurisdições da Commonwealth onde existe interesse pela família real, mas cujas leis de privacidade não são tão severas ou desenvolvidas quanto na Europa ou no Canadá.

“Até que você resolva o problema, as declarações hostis enviadas pelos advogados de Harry e Meghan em Londres aos jornais britânicos exacerbaram a situação ontem”.

“...O que eles fizeram foi atrair atenção para o problema, em vez de lidar com o cerne fundamental do problema, que é processar os fotógrafos, os paparazzi freelancers em Vancouver. Eles tentaram ameaçar os jornais britânicos”.

“Mas esse foi um exercício inútil, porque há jornais e sites em todo o mundo que ficaram muito felizes em publicar aquelas imagens”.

“Como consequência, você não eliminou o incentivo financeiro dos fotógrafos de continuar tirando fotos e vendê-las para várias partes do mundo, onde eles ainda podem”.

Ele disse que, a não ser que os incentivos financeiros dos fotógrafos sejam retirados, ou que uma ação legal contra os fotógrafos seja bem-sucedida, “o problema vai persistir, porque eles têm algo que, correta ou incorretamente, veem como um produto comercial, que eles venderão”.

Stephens diz que acredita que os Sussexes levaram em conta a mídia canadense, que não é “tão intrusiva ou focada em celebridades quanto a do Reino Unido”, ao escolher o país como casa, e destacou que a imprensa local tem uma probabilidade maior de cobrir suas aparições quando elas forem legitimamente do interesse do público.

Transformando uma situação ruim em outra dez vezes pior

“A única coisa que vai impedir a imprensa britânica de publicar fotos como as que foram tiradas de Meghan ontem é a opinião pública,” disse Duncan.

Mas ainda assim, não há garantias.

“...O passado nos diz que mesmo no ápice das batalhas da Princesa Diana com a imprensa o público ficava feliz em dizer ‘Eles deveriam deixá-la em paz’, mas saía e comprava a revista Hello e as vendas dos tabloides disparavam sempre que ela estava na capa”.

Harry e Meghan podem ter piorado as coisas com sua tentativa de se afastar das manchetes negativas da imprensa, segundo Duncan Larcombe. (PA Images)

“Então, Harry não pode confiar na capacidade de decisão do público britânico, porque eles são hipócritas”.

Ao se excluir dos acordos feitos com a imprensa, a única coisa que Harry pode fazer é “emitir cartas legais e reclamar da sua privacidade,” acrescentou Duncan.

“O perigo é que indo para o Canadá, eles transformaram uma situação ruim em outra dez vezes pior”.

Ele disse que um sistema como o “rota real” – que sempre permitiu que os príncipes William e Harry convencessem os editores a não publicar fotos de suas namoradas tiradas por paparazzi no passado – poderia ter sido usado por Harry e Meghan quando chegaram a Vancouver, caso eles quisessem.

Harry poderia ter aceitado que a sua chegada era digna de nota, mas teria uma vantagem com a imprensa para impedir que as fotografias do casal se transformassem em algo diário, e “estas conversas deveriam ter acontecido com os editores, e não através de advogados”.

Ele relembrou algumas fotos de Kate Middleton em um supermercado dias depois do seu casamento com William em 2011, que foram publicadas na época.

O Sr. Larcombe disse que a Família Real podia usar seus acordos com a mídia para prevenir que a Duquesa de Cambridge fosse fotografada sempre que saía da sua casa. (PA Images)

O palácio ficou preocupado com a possibilidade de que as imagens abrissem um precedente que levasse a duquesa a ser fotografada sempre que saísse da sua casa, mas quando os fotógrafos tentaram vender suas fotos em um supermercado novamente, os editores dos jornais verificaram que não tinham tanto valor.

Ele disse que fotos da realeza tiradas por paparazzi são rejeitadas “pelo menos 70% das vezes”. Sempre que elas aparecem na redação, os encarregados ligam para o palácio e há uma discussão para definir se é aceitável publicar as imagens.

“Eu espero, para o seu próprio bem, que Harry consiga realizar o seu sonho de ser deixado em paz, mas não vejo como,” disse Duncan.

“Se eu fosse aconselhá-lo alguns meses atrás, quando ele estava avaliando esta possibilidade, eu diria: ‘Harry, se você fizer isso, não vai mudar nada. Só significa que você vai ter pinheiros e uma paisagem canadense atrás de você, em vez de Windsor,’ por mais trágico que isso possa parecer”.

Elianna Lev & Will Taylor