Luma de Oliveira diz que coleira usada em homenagem a Eike no Carnaval 'era libertadora'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Durante muitos anos era quase impossível falar em carnaval, sem citar Luma de Oliveira, 55, que se destacou como rainha de bateria de várias escolas do Carnaval carioca. Ela desfilou pela última vez em 2009, pela Portela, e é taxativa ao responder porque parou de desfilar. "Ciclos se fecham, e eu cumpri meu papel. Estava de bom tamanho".

A morena diz, ainda, que o Carnaval mudou muito e hoje a rainha de bateria é vista como uma embaixadora da escola. "As responsabilidades começam no meio do ano, e minha vida tem uns percalços. Já aconteceu de, em janeiro, acontecer uma surpresa desagradabilíssima. Como eu ia para a quadra sambar passando por aquilo? Eu não sou fria. Não sou feita de escaninhos", disse em entrevista ao jornal O Globo.

Ela falou ainda sobre o polêmico adereço que usou no Carnaval de 1998, a frente dos ritmistas da Tradição: uma coleira com o nome do então marido, Eike Batista, 63.  "Até hoje as pessoas me mandam fotos delas com o meu nome ou o do parceiro na coleira. Era uma brincadeira. Não imaginava que ia mexer com os padrões de feministas. Aquela coleira era libertadora. Uma mulher submissa não estaria com um maiô sexy, de bota, sambando na frente de 300 ritmistas. Acho todas as conquistas maravilhosas. E ainda falta muito. Mas a liberdade tem que ser para fazer o que a gente quiser".

Solteira desde julho de 2019, ela conta que, desde que se separou de Eike, em 2004, teve três relacionamentos e que não sente falta de casar, mas de romance.  "Sempre fui seletiva. Tenho preocupação em ter ao meu lado boas pessoas".

E não foi só ao tratar de Carnaval que Luma foi sincera. Ela admitiu ter se submetido a cirurgias plásticas e tratamentos estéticos. "Depois que eu tive os dois meninos, botei silicone e fiz lipo , que não adiantou. Também mexi no nariz. Não vou falar que foi desvio de septo. Não tinha harmonia, e beleza, para mim, é proporção. Nunca botei boca. Botox? Já, mas não gostei. Dou muita risada. Então a boca dizia alegria, e o olho, estático, não dizia nada".

A atriz vive em um casarão no bairro do Jardim Botânico, o mesmo no qual morava quando ainda era casada com Eike, pai de seus filhos Thor, 28, e Olin, 24. Atualmente, Luma não trabalha e afirma viver com o dinheiro que acumulou ao longo dos anos. "Eu me dou o direito de não fazer nada. Guardei dinheiro desde o primeiro trabalho. Também dos meus tempos de modelo, das campanhas que fiz durante o casamento. Sempre tive hábitos simples".