Em viagem à Europa, Lula levará assessores com despesas pagas pelo contribuinte

(SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem viagem marcada para a Europa de 29 de fevereiro a 11 de março. O roteiro inclui França, Suíça e Alemanha. Durante esse período, será acompanhado por quatro assessores que terão as despesas pagas com o dinheiro do contribuinte.

E nos siga no Google News:

A autorização para a liberação da viagem dos assessores foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira (27). O direito aos quatro servidores para atividades de segurança e apoio pessoal está previsto na Lei 7.474/1986 e no Decreto 6.381/2008.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Na viagem de Lula para se encontrar com o Papa Francisco, neste mês, o custo total com diárias de assessores e seguranças chegou a R$ 21,5 mil. O valor não inclui as despesas com passagens aéreas, que não foram divulgadas pela Secretaria-Geral da Presidência da República. O ex-presidente levou a Roma três integrantes da equipe cedida pela Presidência.

Desde que deixou a prisão, em 8 de novembro do ano passado, o petista intensificou a agenda de viagens pelo Brasil, o que gerou uma despesa de R$ 100 mil com o pagamento de 248 diárias e passagens aéreas dos servidores que integram sua equipe de assessoramento.

Agenda de viagens

Paris será o primeiro destino da viagem de Lula, onde ele ficará até 5 de março para receber o título de cidadão honorário da cidade.

De 5 a 7 de março, o ex-presidente estará em Genebra, na Suíça, para encontros com líderes de movimentos sociais e de trabalhadores no âmbito do Conselho Mundial de Igrejas.

De 7 a 11 de março, o petista participa de encontro com líderes do movimento sindical mundial, em Berlim, na Alemanha.