Lula indica livros e filme em meio a protestos golpistas pró-Bolsonaro; veja lista

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - Debate dos candidatos à presidência da República, organizado em parceria com Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura. O evento conta com a presença dos candidatos Felipe D’Avila (Novo), Lula (PT), Simone Tebet (MDB), Jair Bolsonaro (PL), Soraya Thronicke (União Brasil) e Ciro Gomes (PDT) e acontece no estúdio da TV Bandeirantes, em São Paulo. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - Debate dos candidatos à presidência da República, organizado em parceria com Folha, UOL e TVs Bandeirantes e Cultura. O evento conta com a presença dos candidatos Felipe D’Avila (Novo), Lula (PT), Simone Tebet (MDB), Jair Bolsonaro (PL), Soraya Thronicke (União Brasil) e Ciro Gomes (PDT) e acontece no estúdio da TV Bandeirantes, em São Paulo. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente eleito indicou dois livros e um filme para quem não pode viajar no feriado de finados. Em dois posts no Twitter nesta quarta-feira (2), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recomendou a leitura de "Torto Arado", fenômeno editorial escrito por Itamar Vieira Junior, colunista da Folha de S.Paulo, e "Um Defeito de Cor", de Ana Maria Gonçalves. Ambos estão entre os preferidos de Lula, diz a postagem.

Ele também sugeriu que as pessoas vejam "Que Horas Ela Volta?", filme em que Regina Casé interpreta uma empregada doméstica que trabalha na casa de uma família de elite. "Quem quiser um filme, pode relembrar a época em que os filhos das empregadas e trabalhadores estavam chegando pela primeira vez na universidade", diz o post.

"Torto Arado", romance épico sobre duas irmãs no sertão baiano, que trata de ancestralidade e racismo, foi vencedor dos prêmios Jabuti e Oceanos em 2020, ficando à frente de livros de autoajuda e investimentos.

Já o de Ana Maria Gonçalves conta a história de uma africana idosa, cega e à beira da morte, que viaja da África para o Brasil em busca de um filho perdido. Ao longo da travessia, ela conta sua vida, marcada por mortes, estupros, violência e escravidão.